Total de visualizações de página

Esta é uma página do Facebook, Clique para Curtir ou Compartilhar

Voto de Confiança - (Poesia sobre Povo, Política)

               (...Poesia sobre: Voto, luta, país, governo, confiança, povo, política, dirigentes, padecer, pão, vinho, água, humildes, mágoa, representante, oprimido, defensor, escalão, verdadeiro, fraco, forte. Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


O verdadeiro dirigente
É aquele que conhece
O sofrimento de seu povo
E o quanto ele padece.

É aquele que tomava
O mesmo vinho, a mesma água,
Que comia o mesmo pão
E que trazia a mesma mágoa.

O verdadeiro governante,
Não se sente importante,
Governa para os humildes,
É o seu representante.

É aquele que defende
O mais fraco e oprimido,
Que luta pra melhorar
O modo que temos vivido.

O povo o colocou
No mais alto escalão,
Um voto de confiança,
Um voto de esperança,
O País na sua mão.

Indignado Politicamente - (Poesia sobre Futuro, Promessa)

               (...Poesia sobre: Eleição, corrupção, violência, fome, saúde, educação, drogas, promessa, povo, política, população, emprego, epidemia, consumo, batalha, Deus ajude, céu, mundo, bolsos, fartara, insegurança, indignação, nação, . Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


Tá faltando emprego pra população,
O povo não pode ter educação.
As drogas proliferam como epidemia,
Tudo é muito fácil, é País da folia.

A violência assola a população,
O povo acuado, tranca o portão.
De um lado tem o que morre de fome,
Do outro lado tem aquele que consome.

O País doente que não tem saúde,
Peço a Deus do céu pra que nos ajude.
Todo mundo pensa em aproveitar,
Em encher ao bolsos para se fartar.

O povo está cansado de tanta promessa,
Nossos governantes não estão com pressa.
Em ano de eleição, se pintam pra batalha,
Enquanto o povo sente o fio da navalha.

Indignado eu fico, indignado estou.
Indignado, eu choro pelo que restou.
Indignado, eu vivo muito inseguro.
Indignado, estou com medo do futuro.

Óbvio demais - Auto-destruição (Poesia sobre Gerra, Realidade)

               (...Poesia sobre: Sangue, vidas, raça humana, humanidade, inocentes, paz, indiferença, descaso, morte, guerra, mal, aplausos, versão, aversão, banalidade, flores, realidade, triste, nação, acreditar, futuro, dizimados, artifícios. Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


Nem toda verdade merece ser dita,
Se ninguém acredita na minha versão.
Se falo de sangue alguns me aplaudem,
Se falo de flores, nem dão atenção.

Se falo de paz, parece banal.
É óbvio demais a destruição.
O mal que assola a humanidade
É realidade em toda nação.

Falar de futuro é muito difícil,
Não tenho artifícios pra me expressar.
Nem toda a verdade merece se dita
Se ninguém acredita no que vou falar.

O sangue que jorra é vida ceifada,
Mais um inocente jogado ao chão,
Em nome da guerra que não faz sentido,
Um mundo perdido em destruição.

Nem toda verdade merece ser dita,
Se ninguém acredita na minha versão.
Dizimados pela raça humana,
É a nossa auto-destruição.

Terra Natal - (Poesia sobre Cidade, Campo)

               (...Poesia sobre: Pessoas, cidade, fazenda, tempo, simplicidade, caipira, terra, vida, natural, céu, vento, lua, sol, cachoeira, rio, riacho, viver ninguém, correria, dia a dia, ligeiro, matuto, lugar, galo canta, devagar, pressa. Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


Aqui, as coisas são diferentes.
Tudo passa tão ligeiro, aqui.

Correria todo dia,
Ninguém fala com ninguém
As pessoas se esbarram,
Uns vão indo outros vem.

Más é que não sou daqui,
Não compreendo esse lugar.
Sou simplório, sou matuto.
Pra minha terra, quero voltar.

Lá, o tempo passa devagar.

O dia é longo demais,
Eu tenho um tempo de paz,
É um prazer aproveitar.
A vida é tão natural,
Não vejo nada igual,
Sinto saudades em pensar.

Eu vejo estrelas no céu,
A lua enfeita o meu céu,
O vento manso a sussurrar.
Eu ouço o galo cantar
E os passarinhos também,
O sol raiando, já evem.

Na cachoeira banhar,
Vou no riacho pescar,
Tem fruta fresca no pomar.
É neste chão que nasci,
Terra que me viu crescer,
É lá que eu quero morrer.

Vivendo e Aprendendo - (Poesia sobre Recomeço, Caminho

               (...Poesia sobre: Medos, sonhos, desejos, história, paz, ganhar, perder, recomeçar, caminho, rumo, novo, viver, aprender, chorar, sorrir, frente, trás ganhando sorrindo. Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


Enterre seus mortos,
Abandone os fantasmas,
Esqueça seus medos
E siga em paz.

Uma nova história
É feita de sonhos,
Movida a desejos
E um pouco de paz.

Vire esta página,
Escolha seu rumo,
Caminhe pra frente,
Não olhe pra trás.

A vida é assim,
Ganhando ou perdendo,
Chorando ou sorrindo,
A vida é assim,
É vivendo e aprendendo.

Espontaneidade - (Poesia sobre Ser você mesmo)

               (...Poesia sobre: Ser autentico, natural, verdadeiro, campeão, vencedor, mudança, desejo, força, vontade, luta. Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


Se você não sabe ser
O que você quer ser,
Então deixa de querer
O que você quer ser.

Se você pensa em ser
Só por alguém é,
É melhor pensar direito
No que você quer.

Seja espontâneo, natural,
Seja você e o mundo
Á sua volta, irá te copiar.
A mudança só começa com o seu querer,
Pra você, chegou a hora de mudar.

Antes de mudar,
Você precisa conhecer
A força que existe
Dentro de você.

Saiba que você
É campeão é vencedor
E força em você
É simplesmente amor.

Qualquer que seja a sua crença - (Poesia sobre Pobreza, Riqueza)

               (...Poesia sobre: Crença, religião, fé, caminho, direção, sentido, sofrimento, realidade, humildade, Deus, esperança, força, pobre, rico, escravo, dia, realidade, maior, provido, próximo, maior, mor. Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)

Qualquer que seja a sua crença,
Filosofia, ideologia ou religião.
Qualquer que seja o seu caminho,
O seu sentido, a sua trilha, a sua direção.

Um novo dia, traz a esperança mor
E a cada dia ela fica bem maior.
A esperança vai crescendo com a fé,
Fortalecendo para o que der e vier.

Quanto mais sofre, mais esperança se tem.
O satisfeito não se lembra de ninguém.
Quanto mais pobre, mais fiel à sua fé.
Quanto mais rico, mais escravo ele é.

O sofrimento aprimora a vontade,
Faz entender e aceitar a realidade.
O mais humilde está mais próximo de Deus.
O mais provido não reconhece os teus.

Ela sabe viver - (Liberdade, Felicidade)

               (...Poesia sobre: Mulher, livre, viver, aproveitar, curtir, desprender, compromisso, sorrir, sonhos, seguir, tempo, natural, menina, solta, boa, voar, mal, só, jeito, volta. Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


Você percebe o mundo a sua volta,
Enquanto isso, você leve e solta,
Vai por ai.
Todos perdidos em seus sonhos loucos
E você livre, se desprende aos poucos,
É só curtir.

O tempo passa e você quase voa,
Tudo vai mal e você tá na boa,
Sem resistir.
A vida é curta e você sabe disso,
Por isso mesmo, não há compromisso,
É só seguir.

Eu admiro sua desenvoltura,
Você tão livre e sempre tão segura,
Aqui e ali.
Viver é isso você nos ensina,
Com o seu jeito natural de menina,
Sempre a sorrir.

Curta a Jornada - (Poesia sobre Aproveitar a Vida)

               (...Poesia sobre: Batalhas, revelação, dilema, tombo, quedas, erro, refazer, novo, dia, viver, rombo, difícil, tolice, burrice, lema, final, jornada, vezes, curta. Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


Vivendo e aprendendo, esse é o nosso lema.
As batalhas mais difíceis, são sempre as pequenas.

A cada novo dia, há um novo problema.
A vida é isso mesmo, é só mais um dilema.

A prática da queda, aprimora o tombo.
A constante retirada é que revela o rombo.

Insistir no erro, aí já é burrice!
Refazer muitas vezes, pra mim já é tolice.

E ao final de tudo, você não leva nada.
É só o que viver nessa curta jornada.

A jornada é curta, curta a jornada.

Somos Quase Nada - (Poesia sobre Humanidade, Universo)

               (...Poesia sobre: Sol, céu, universo, cada um, iguais, Noite, dia, poder, voz, tarde, escuridão, Deus, existir, dinheiro, poder, corrompe, perante, mais, dever, maior, respeito. Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


Um sol pra cada um de nós,
Perante o sol, somos iguais.
O sol não pode distinguir,
Quem não tem nada ou quem tem mais.

Seja noite ou seja dia,
O céu tá lá pra nos mostrar.
Que existe algo bem maior,
Que devemos respeitar.

O universo é assim, é.
Aceita qualquer um de nós,
Más, o dinheiro e o poder,
É quem divide a nossa voz.

A tarde cai, o sol se vai.
A noite vem aliviar.
Escuridão pra todos nós.
Somos iguais sob o luar.

Jardim Escasso - (Poesia sobre Amor, Flores)

               (...Poesia sobre: Abandono, solidão, dor, amor, ódio, saudade, esquecer, jardim ,espinhos, flores, embora, resto, embora, escutar, saber, outra, sozinho, querer, novo. Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


Violeta foi embora,
Margarida me deixou,
A saudade me apavora,
Solidão é minha dor.

A rosa não me quer mais,
Hortência me abandonou,
Angélica tá em outra,
Adália tem novo amor.

Dracena não me escuta,
Iris não quer nem saber,
Amarilis diz que me odeia,
Jasmim quer me esquecer.

Meu jardim está escasso,
Eu já não sei o que faço
Para não ficar sozinho.
Eu vivia de amor,
Num jardim cheio de flor,
Hoje, resta-me os espinhos.

Caminho de Pai para Filho - (Poesia sobre Ensinamentos, Aprendizado)

               (...Poesia sobre: Tempo, certo, livre, viva, forte, mundo, grande, alegria, cultivar, voar, passarinho, céu, ninho, intensidade, passo, cada vez, imaginação, hoje, agora, momentos, fruto, ter, ser, fazer. Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


Um dia tu serás livre,
Livre como um passarinho,
Voarás por todo o céu
E terás teu próprio ninho.

Por enquanto, vá vivendo.
Aproveite o seu dia,
Viva com intensidade,
Cultivando a alegria.

Tudo tem o tempo certo,
Um passo de cada vez.
O momento a ser vivido
É fruto do que se fez.

Serás grande, serás forte,
Bem maior que o teu desejo,
Poderás ganhar o mundo,
É assim que eu te vejo.

Amor sem Fronteiras - (Poesia sobre Jesus, Pregação)

               (...Poesia sobre: Palavra, mundo, amor, paz, amparo, fronteiras, ensinamentos, peregrino, andarilho, multidão, sozinho, aura, busca, levar, seguir, só, carregar, luz, caminhos. Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


O andarilho caminha
Em meio à tanta gente.
Driblando a multidão
Com sua aura luzente.

É só mais um peregrino
Em busca de um caminho,
Que anda por toda parte
E sempre segue sozinho.

Levando ensinamentos
A quem precisa de amparo,
Pregando o amor sem fronteiras,
Um sentimento tão raro.

Só traz consigo a palavra,
Outra coisa não carrega,
Mostrando a paz para o mundo,
É o amor que ele prega.

Seu problema não é nada - (Poesia sobre Ter tudo, Ter nada)

               (...Poesia sobre: Lar, família, leite, paz, calçada, dormir, conforto, problema, sereno, universo, cobertor, roupa, madrugada diante, lugar, farrapos, reclamar, tomar, lamentar. Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


Mediante o universo,
Seu problema é tão pequeno.
Você tem onde dormir,
Enquanto eu durmo no sereno.

Mediante o universo,
Seu problema não é nada.
Você tem onde dormir,
Enquanto eu durmo na calçada.

Você tem o seu conforto,
Eu só tenho a madrugada.
Você tem seu cobertor,
Eu tenho a roupa esferrapada.

Você toma leite quente,
Eu nem tenho o que tomar.
Você tem uma família,
Eu nem mesmo tenho um lar.

Você reclama demais,
Enquanto eu procuro a paz,
Você vive a lamentar.

A minha Provação - (Poesia sobre mais um Filho de Deus)

               (...Poesia sobre: Vida, caminho, corpo, vagabundo, mendigo, andarilho, bondade, cristãos, caridade, maluco, sujes mundo, cão sem dono, rumo, cansaço, filho de Deus, provação. Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


O vento sopra meu cabelo endurecido,
A poeira impregnada em meu suor.
Meus sapatos calejam meus pés cansados,
Se há sede ou há fome, não sei o que é pior.

O cansaço toma conta do meu corpo,
Levo comigo a saudade das pessoas que deixei.
Sobrevivo da bondade e caridade dos cristãos,
Peço ao pai que abençoe as pessoas que encontrei.

Sou apenas o seu filho, passando por provação.
Vagando por esta vida, buscando compreensão.
Sou chamado de maluco, andarilho e sujes mundo.
Alma sem rumo, cão sem dono, mendigo e vagabundo.

Assobiando uma canção desconhecida,
Vou caminhando, sem saber se vou chegar.
Em minha vida, não existe rumo certo,
O meu caminho, à muito deixei de traçar.

Boa ação - (Poesia sobre Gratidão, Atitude)

               (...Poesia sobre: Bondade, caridade, devoção, coração, fome, leão, cristo, Deus, feijão, saudade, agradecimento, gratidão, fartar, abraço, nome, amanhã, grande, mestre, lado, bem. Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


Amanhã eu sentir
Muitas saudades de você,
Por isso, quero te abraçar,
Por isso quero agradecer.

Vou me fartar desse feijão
Que amanhã vai me faltar,
A minha fome de leão,
Hoje eu posso saciar.

Seu coração é muito grande,
Seu coração é bom demais,
Sua bondade se expande
Em nome do que você faz.

O seu lugar tá garantido
Bem à direita de Deus Pai,
Ao lado de meu mestre Cristo
E de lá você não sai.

Pregação do andarilho - (Poesia sobre Palavra, Reflexão)

               (...Poesia sobre: Desilusão, perdido, reflexão, tolice, mistério, sentimento, pureza, agradecimento, coração, pregação, sabedoria pressa, brilho, busca, precisar, voz, haver, força, olhar, palavras, sabedoria. Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


Alimentei um mendigo,
Desses do tipo andarilho.
Que tinha força na voz
E no olhar muito brilho.

Ele me agradeceu
Dizendo algumas palavras,
Como se ele soubesse
O que eu mais precisava.

O andarilho me disse
Que toda pressa é tolice
E toda busca é em vão.
Se não houver sentimento,
Pureza de pensamento,
Se não houver coração.

Eu que andava perdido,
Um tanto desiludido,
Fiz uma reflexão.
Então, levei muito a sério
Todo aquele mistério
De uma só pregação.

Grã Sabedoria - (Poesia sobre Filosofia, Popular)

               (...Poesia sobre: Ditos populares, muleta, mentira, escravo, louco, luta, trajetória, ferro, fogo, avó, vida, comida, sorriso, coração, acumular, aquisição, dizia, rumo, destino, jogar, esconder, rótulo, conhecer. Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


Assim dizia minha avó, em sua Grã sabedoria.
Adquirida a ferro e fogo, sob o suor do dia a dia.
Assim dizia minha avó, em sua vã filosofia.

A rima dá poesia,
O verso faz a canção,
O sorriso traz alegria,
A vida é o coração.

Desculpa boa é muleta,
Mentira tem perna curta,
Quem acumula é escravo,
Quem muito esconde se furta.

Comida boa engorda,
Tudo que é bom dura pouco,
Quem joga tudo para o alto
É rotulado de louco.

Sem rumo não há caminho,
Sem luta não há vitória,
Quem traça o seu destino
Já conhece a trajetória.

Versos e Pregação - (Poesia sobre Sabedoria, Antiga)

               (...Poesia sobre: Fumaça, tempo, horas, lamentação, céu, padecer, preço, nascer, pito, tição, borralho, vovó, outra, novo, velho, mão, mudança, ali, emoção, recordação, passado, palavras. Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


Vovó ficava sentada
No borralho do fogão,
Numa mão estava o pito,
Na outra estava o tição.

Vovó tragava a fumaça,
Olhando a hora passar.
Falava de um novo tempo,
De que tudo ia mudar.

Eu ficava ali sentado,
Ouvindo a lamentação,
Recordo suas palavras
E me encho de emoção.

"A vida volta ao começo,
Dá tempo de refazer,
Se hoje, o céu não mereço,
Viverei pra merecer.
Se na vida, eu padeço,
Já estou pagando o preço,
Não preciso mais nascer."

A Dor de um Pai - (Poesia sobre Partida, Adeus)

               (...Poesia sobre: Marasmo, adeus, filho, pai, mundo, roça, história, até logo, um dia, compreensão, pensamento, cansado, rumos, dor, grande, capital. Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


Tava cansado do marasmo lá da roça
E da mesmice sem igual.
Eu resolvi mudar os rumos desta história
E partir pra capital.

Então, eu disse good bye,
Até logo, Adeus meu Pai.
Ele me disse, não tem jeito,
Nada nessa vida te segura,
Eu sei que você vai.

Há uma coisa que meu Pai disse,
Que do pensamento não sai.
Você só vai compreender o mundo,
No dia que você for Pai.

Quando seu filho chegar pra você
E lhe disser que também vai,
E lhe disser até um dia,
Até logo, adeus meu Pai.
Aí você vai entender,
Você vai compreender
Como é grande a dor de um Pai.

Saudade da Infância - (Poesia sobre Criança, Lembranças)

               (...Poesia sobre: Recordação, Brincadeiras, lambanças, quintal, tempo de criança, regresso, retorno, balanço, coração, dia inteiro, festa infantil, diversão, loucuras, meninos, grande, vontade, saudades. Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


Quantas saudades do meu tempo de criança,
Brincadeiras e lambanças
Lá no fundo do quintal.
O dia inteiro, a gente fazia festa,
Diversão igual a esta,
Nunca mais eu tive igual.

Como é grande esta saudade
Do meu tempo de criança,
Chega e me invade
E o meu coração balança.
Minha vontade de regresso é muito grande,
O meu coração responde
Sob a ponta de uma lança.

Eu me perco nas lembranças
Das loucuras que eu fiz,
A saudade me aperta,
Dá vontade, eu peço bis.
Nesse momento, fujo da realidade,
Em nome de uma saudade,
De uma infância tão feliz.

Vida de Mãe - (Poesia sobre Devoção, Missão)

               (...Poesia sobre: Satisfação, sacrifício, dedicação, obrigação, retidão, carinho, criação, mamãe, café, roça, cantar, galo, vida, difícil, calos, mãos, cedo, luta, passado, cheiro, sorriso, gente, severo,  . Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


Lá na roça, tudo era diferente,
Mamãe cuidava da gente
Com carinho e devoção.
Sinto saudade do eu sorriso sincero,
Do seu jeito tão severo
Que foi nossa criação.

Eu sinto falta até do cantar do galo,
Minhas mãos cheias de calos,
Era uma satisfação.
O cheiro bom de café passado na hora,
Manhã, cedo sem demora,
Cuidava da obrigação.

Família grande e vida difícil,
Com sacrifício
E muita retidão.
Com muita luta
E boa conduta,
Ela cumpriu sua missão.

Colo de Mãe - (Poesia sobre Proteção, Amparo)

               (...Poesia sobre: Carinho, amparo, mãezinha, amado, medo, acolher, conforto, acalento, paraíso, sofrimento, peso morto, abraço, voz de mãe, olhar, sorriso, jeito, paz. Assuntos relacionados: Poema, Rima, Verso, Prosa, Música.)


Tens a paz no teu sorriso,
Tens amor no teu olhar,
Me sugere o paraíso,
O teu jeito de falar.

Teu abraço é meu conforto,
Tua voz meu acalento,
Sem você sou peso morto,
Sou apenas sofrimento.

Sinto saudade do teu colo,
Que é pra onde eu corria,
Quando estava com medo
Você sempre me acolhia.

Você me dava carinho,
Me sentia amparado,
Por você, minha mãezinha,
Eu sempre serei amado.

Minha Genitora

O teu sorriso é alegria do meu dia a dia.
O teu olhar é esperança do meu caminhar.

A tua mão é o amparo do meu despreparo.
A tua voz é acalento do meu sofrimento.

A tua calma é o descanso da minha alma.
O teu amor é o presente do criador.

Tua presença é harmonia, é recompensa.
A tua falta é a tristeza que me assalta.

Oh, minha genitora.
Tu és a santa dentre as santas desta vida.
Tens o poder de dar a luz a um novo ser.
És uma Deusa e deves ser reconhecida.

Mulher e Mãe

Ela tem a paz no espírito,
Ela tem alegria no olhar.
Ela é a razão da minha vida,
Ela é a rainha do meu lar.

Ela trocou minha fraudas,
Ela me deu de mamar.
Ela velava meu sono,
Cantava pra eu dormir
Uma bela canção de ninar.

Dorme neném,
Dorme meu filhinho,
A cuca não vai te pegar.
Mamãe vai estar te olhando
À toda hora, em todo lugar.
Mamãe vai estar te olhando,
Em teus sonhos, mamãe vai estar.

A sua maior riqueza
É sua simplicidade,
Mulher de sorriso farto,
Mulher e mãe, mulher de verdade.

Astro Rei

O mesmo céu tem esse sol,
Em qualquer canto que eu vá.
Creio, não há beleza igual,
É tão gostoso contemplar.

O mesmo sol que me aquece,
Aquece aqui, aquece lá.
Raios de luz da existência,
Que faz a vida proliferar.

Sem esse sol, vida vazia,
Sem esse sol, vida não há.
Vamos fazer um culto ao sol
E agradecer a luz solar.

Vem luz, vem sol.
Astro rei, vem clarear.
Vem trazer a sua força,
Nosso dia iluminar.

Sorria, Sorria

Experimente ser feliz,
Pense nas possibilidades.
Olhe em toda a sua volta,
Aproveite a liberdade.

Abrace o calor do sol,
Sinta o perfume das flores,
Corra nos campos verdejantes,
Em busca de novos amores.

Você é um passarinho,
Pode fazer o que quiser,
Viva os sonhos que sonhou,
Da vida espere o que vier.

Sorria, sorria, você pode ser feliz
A qualquer hora do dia.
Sorria, sorria, essa tal felicidade
Começa com a vontade
De ter paz e alegria.

Contemplar a Existência

Olhe para ao céu e você verá
A mão do criador sobre sua cabeça.
Nesse lençol azul, detalhes de algodão.
Peça para que o sol sempre te aqueça.

Esse tapete enorme, nos deu para pisar.
O cheiro da relva solto no ar.
A beleza das águas nos rios, no mar.
A riqueza está nos olhos
De quem sabe contemplar.

Olhe para o céu,
Olhe a natureza,
Olhe para ao mar,
Tudo isso pertence ao seu olhar.

Tudo isso é seu,
Tudo isso Deus lhe deu
Más, é só para contemplar.

Desafio para a Ciência


Entregue-se, envolva-se,
Retribua o amor que alguém te deu.
Aceite-se, entenda-se,
Divida o amor não é só seu.

Destrave esta cara,
Desmonte esta carranca,
O coração dispara
E faz da amor a alavanca.

Que move a engrenagem
De toda a existência,
Que muda o sentido
Da nossa resistência.

Que abre os caminhos
Da nossa consciência,
Que apresenta um novo mundo,
Desafio pra ciência.

Sorria para a vida,
Sorria sem temor,
Na chegada ou na partida,
O sorriso é o amor.

Vida de Ilusão

Vamos lá...
Depois, a gente fala em destino.
Depois, a gente fala em desatino.
Vamos aproveitar o que há de bom,
Vamos curtir a vida à doidado.
Deixar de lado o certo e o errado,
O sol é o maestro e dá o tom.

O verde é o limite, é a parede.
A água do riacho mata a sede.
O dia trás a luz que irradia.
O horizonte é nosso ideal,
O planeta é nosso quintal,
Saia dessa vida tão vazia.

Abandone o mundo que você criou,
Vá viver o sonho que você sonhou,
Esqueça esse mundo de ilusão.
Pare de enganar seu coração,
A vida é só a vida, alguém te enganou.

O Presente da Vida

Relaxe, relaxe.
Relaxe e respire,
Alivie e deixe extravasar.
Não se contraia e saia pra dançar.
Ponha pra fora
Tudo que você costuma guardar.

Convide a galera e faça um festa,
Aproveite o dia que a noite virá.
Aproveite a vida que é só o que resta,
Você tem a chance de tudo mudar.

A vida é feita de ascensão e fracasso,
A vida se faz cada dia, passo a passo.
Minuto a minuto, buscando no laço,
Desembaraçando todo esse embaraço.

Aceite o presente que a vida lhe dá,
O prazer de nascer, de viver, de amar.
E quando for a hora, ela vem lhe tirar.
A chance que te deu de se aperfeiçoar.

Redenção (Libertação)

O dia vai ser lindo,
Você vai correr e você vai brincar.
O Sol está surgindo,
Você vai esquecer, você vai superar.

Depois da tempestade
Vem a calmaria, vem a redenção.
Viver pela metade,
É não ter alegria no seu coração.

É só questão de tempo,
É preciso força pra continuar.
Os dias passam lentos
Pra que a gente torça, pra tudo passar.

Eu vivo no relento,
A favor do vento,
Pra facilitar.
Todo o meu sofrimento
Está no pensamento,
Que eu vou mudar.

Venha alegrar a vida

Chega de melancolia,
Chega desse sofrimento.
Não quero te ver tristonha,
Se perdendo em lamentos.

O passado é passado
Como o próprio nome diz,
Deixe essa dor de lado
E procure ser feliz.

Então abra o seu sorriso
Que eu te abro o coração,
Me abraça e vem comigo
Espantar a solidão.

O sorriso contagia
Aumentando a emoção.
Enche o ar de alegria,
Faz feliz o coração.

O Trem da Vida

Você tem mais uma chance
Pra mudar o que há de vir.
Lá fora a vida te chama
Más, você não quer ouvir.

As paredes são de aço
Para quem prefere a dor.
Só lamento e lamúrias
Para quem guardar rancor.

Essa vida é muito curta,
É melhor apressar.
O trem da vida te espera,
Você pode se atrasar.

Vem viver...
Vem viver o sentimento,
Vem viver o seu momento.
Venha ver...
Pois, a vida te aguarda,
Venha ver o que ela guarda
Pra você.

Não desista de Lutar

Se você está sozinho,
Se você pensa em chorar.
Pare e pense mais um pouco,
É melhor não se entregar.

Se você está sofrendo,
Está pensando em desistir.
O melhor é encarar,
É mais fácil que fugir.

Olhe para o céu azul,
Para a imensidão do mar.
O que você está sentindo,
Certamente vai passar.

Vai passar pois, na vida tudo passa.
Vai passar, isso é coisa de momento.
Vai passar, não se entregue ao sentimento.
Vai passar, é preciso repensar.

O tempo Cura

Nem tudo está perdido,
A vida continua.
Você perdeu um grande amor
Más, a culpa não é sua.

Seu amor não te merece,
No fundo você sabia.
Que esta história de amor,
Muito cedo acabaria.

O tempo vai curar
A sua grande dor.
O remédio é amar,
É arranjar um novo amor.

Chore pra desabafar,
Chorar só te faz bem.
Você chora por um grande amor,
Tem gente que não chora por ninguém.

Perdas e Bênçãos

As vezes, quando você perde
É que você ganha.
Nem sempre a vida é perfeita,
Também é estranha.

Há sempre, atrás de uma perda,
Uma experiência.
O sofrimento é o segredo
Da sobrevivência.

Já nascemos para perder,
Desde o começo.
E depois de uma perda,
Vem o recomeço.

A vida me prega uma peça,
Só quero o que me interessa,
Eu quero tudo pra mim.
Talvez seja o meu egoísmo
Que me leva para o abismo,
Sempre a caminho do fim.

Desilusão pra ser Vivida

Se já não há um lugar para ir,
Se já não há razão de existir,
É preciso parar pra pensar.
É preciso rever os eus valores,
Se você viveu pros seus amores,
Não adianta mais se lamentar.

Você viveu a vida dos outros,
Você foi se desfazendo aos poucos
Dos caminhos que você traçou.
Só agora, você foi perceber.
É por isso que você vai sofrer,
Agora sabe onde foi que errou.

Você vai chorar desesperadamente
Pois, é nessa hora que a gente sente
Toda dor que a vida reservou pra gente.
Você vai sofrer pra amadurecer,
Com o passar do tempo irá esquecer,
Irá valorizar o que há realmente.

Teste de Resistência

Tem dias em que tudo
Parece estar perdido.
Tem dias em nossos sonhos
Não fazem sentido.

Tem dias em que a tristeza
Chega e nos apavora.
Tem dias em que a solidão
Leva a paz embora.

Tem dias em que a gente
Sofre, chora e desespera.
Tem dias em que a gente
Se descontrola e se torna uma fera.

Tem dias em que a esperança
Parece tão distante.
Tem dias em que nossos medos
Não são importantes.

Más, tudo isso é só pra fortalecer.
Tudo isso é só pra testar a fé.
A força maior está com você.
Basta acreditar em quem você é.

Sou Brasileiro

Brasileiro é pau pra toda obra,
É forte e tem disposição de obra.
Empurra, puxa, guia e manobra.
Embrulha, amarra, amassa e desdobra.

Brasileiro tem muita bravura,
Cozinha, lava, passa e costura.
Descarrega, pega, leva e segura.
Briga, luta, enfrenta e tem jogo de cintura.

Brasileiro adora uma disputa,
Brasileiro tem boa conduta.
Brasileiro vive na labuta,
Brasileiro é sinônimo de luta.

Eu sou mineiro, cearense, paraense, alagoano.
Sou paulista, rondonense, amazonense, sergipano.
Eu sou sulmatogrosense, piauiense, sou goiano.
Sou carioca, roraimene, tocantinense, sou pernambucano.
Sou potiguá, paranaense, amapense, sou baiano.
Sou capixaba, maranhense, matogroense, acreano.
Gaúcho, brasiliense, catarinense, sou paraibano.

Artista Brasileiro

O artista Brasileiro é personagem altaneiro.
Vai de janeiro a janeiro
Alegrando o nosso lar.
O artista Brasileiro profissional do mais completos.
O artista visto mais de perto
Fará você se apaixonar.

O artista Brasileiro
Se entrega de corpo inteiro,
Não tem hora nem lugar.
O artista tem papel indispensável.
Seu trabalho é notável,
Reconhecer é concordar.

Aplausos para o artista Brasileiro.
Que de janeiro a janeiro
Vai alegrando corações.
Aplausos à essa gente sem fronteira.
Gente sem eira e nem beira,
Gente que embala multidões.

Gente que canta e encanta,
Que apresenta e representa.
Gente que dança e balança,
Gente que trás a esperança,
Gente que cria e inventa.

Graças à Deus

Ou, ou, ou, ou, ou.
Eu vou dar graças à Deus.
Eu vou dar graças à Deus.

À alegria das crianças, vou dar graças à Deus.
À toda paz e esperança, vou dar graças à Deus.
Á garra e perseverança, vou dar graças à Deus.

Ou, ou, ou, ou, ou.
Eu vou dar graças à Deus.
Eu vou dar graças à Deus.

Ao alimento que comemos, vou dar graças à Deus.
À saúde dos enfermos, vou dar graças à Deus.
À essa vida que nos temos, vou dar graças à Deus.

Ou, ou, ou, ou, ou.
Eu vou dar graças à Deus.
Eu vou dar graças à Deus.

À dignidade humana, vou dar graças à Deus.
À todo mundo que se ama vou dar graças à Deus.
A nossa vida é uma chama, vou dar graças à Deus.

Diga sim para Vida

Sim, eu digo sim,
Para a paz eu digo sim.
Sim, eu digo sim,
Para o amor eu digo sim.

Sim, eu digo sim,
Pra alegria, eu digo sim.
Sim, eu digo sim,
Para a saúde, eu digo sim.

Não, eu digo não,
Para a guerra eu digo não.
Não, eu digo não,
Para o ódio eu digo não.

Não, eu digo não,
Pra tristeza eu digo não.
Não, eu digo não,
Para a dor eu digo não.

Sim, eu digo sim,
Para a vida eu digo sim.
Sim, eu digo sim,
Pro que é bom eu digo sim.
Digo não pro que é ruim.

A importância da Família

Pais, filhos, irmãos e parentes.
Permaneçam unidos nos laços de simpatia.
Tudo em família, estejam sempre presentes.
Para que em seu lar, haja muita harmonia.

Doloroso é saber que pais abandonam filhos
E filhos desprezam pais.
Maridos e mulheres se perdem na vida.
Nos prazeres mundanos que separam casais.

É preciso saber amar,
dividir, repartir e compartilhar.
Estar sempre presente e se sacrificar.
Pra que sua família possa se recriar.

Se reúnam em festas para comemorar,
Estejam sempre presentes no aconchego do lar.
Não seja só um parente, do tipo indiferente
Que não tem nem um lugar.

Bicho do Mato

Uma cabaça d`água
Pra matar a minha sede.
Quero uma sombra fresca
Pra descansar na minha rede.

Quero uma casa grande,
Sem telhado, nem parede.
Quero maré de peixe
Para encher a minha rede.

Eu quero liberdade,
Quero simplicidade.
A vida na cidade,
Eu não aguento mais.
Eu sou bicho do mato,
Quero o cheiro do mato.
À beira de um regato,
Quero viver em paz.

Quero viver seguro,
Viver atrás do muro
Tem sido muito duro,
Não quero nunca mais.

Voltar a ser Matuto

Eu vou embora , vou deixar de ser matuto.
Vou ser astuto, vou morar na capital.
Vou ficar rico, vou ganhar muito dinheiro.
Ser importante, ser um cara bem legal.

Realidade, por aqui é diferente.
Machuca a gente, maltrata, dói demais.
A gente chega carregando muitos sonhos,
Em pouco tempo esse sonho se desfaz.

A gente sabe que tudo é ilusão
E mesmo assim, a gente engana o coração.
A esperança é a última que morre,
A gente corre para defender o pão.

Eu vou embora, vou deixar de ser astuto,
Vou ser matuto, vou voltar pro interior.
Vou arranjar uma mulher que me aceite,
Pro meu deleite, quero ter um grande amor.

Doe, faça uma boa ação!

De barriga cheia
Você não tem fome.
Você ri da vida alheia,
Essa dor não te consome.

De barriga cheia
Você ri da desgraça.
Más, se a fome aperta,
Você vive a ameaça.

De barriga vazia,
Você tá numa fria,
A fome te assusta.
A dor é verdadeira,
Você empunha a bandeira,
Pois ai, a causa é justa.

A diferença é que você tá numa boa,
Enquanto isso, alguém não tem o que comer.
Isso varia de pessoa pra pessoa,
Pode doar o que não falta pra você.

Corrente do Amor

O que você pode fazer,
Para mudar o seu lugar?
O que você pode mudar,
Pra melhorar o seu viver?

Agasalhar a quem tem frio,
Alimentar a quem tem fome.
Isso revela o seu brio,
Esse mal você consome.

Se você muda por mudar,
Não faz sentido refazer.
Se você faz só por amar,
Viver se torna um prazer.

Muda, muda, muda o seu modo de pensar,
Pense, pense, pense em como ajudar.
Faça parte dessa corrente do amor,
Viva a vida, seja na vida um bem feitor.

Patamar (Escala da vida)

Vamos descer do patamar,
Vamos vestir essa camisa.
Tem muita gente que precisa
E que nem tem com quem contar.

Você está roendo o osso
E arrotando caviar.
O que não falta pra você,
Faz diferença em outro lar.

O que você não dá valor,
Que você trata com desdém.
O que você não usa mais,
Muda a vida de alguém.

Por tanto, tudo tem o seu valor,
É tudo uma questão de precisar.
Enquanto algo sobra pra você ,
Alguém está lutando pra ganhar.

O que você deseja possuir,
Alguém já possuiu no seu lugar.
Tem sempre alguém acima de você,
Tem sempre alguém querendo te alcançar.

Um recado do Futuro

Por onde você passou,
Ficou a destruição.
Você acabou com o mundo,
Você não tem compaixão.

Você não deixou condição
Do ser se proliferar.
Você dizimou sua raça,
Juntamente com esse lugar.

Agora se vê os seus rastros
E os restos que você deixou.
A água não serve pra nada,
A terra está contaminada
Pelo lixo que você juntou.

Você não pensou no futuro,
Você só pensava em si.
Pela sua ignorância,
O mundo acaba aqui.

Gafanhoto Humano

A terra que você destrui,
A floresta que você desmatou,
O ar que você poluiu,
A água que contaminou.

Fazem falta pra nossa existência,
Fazem falta pro nosso viver.
O seu egoísmo é tão grande
Que nem dá para te descrever.

Você não passa de um rato,
Um infeliz gafanhoto,
Você é como barata,
Você prefere o esgoto.

Você é só um ET
Que invadiu o planeta.
Você destrói tão depressa,
Mais rápido que cometa.

Você se diz ser humano,
Você não passa de inseto.
O seu futuro é sombrio,
Faz parte do seu projeto.

Predadores Naturais

Até quando seremos,
No universo, o planeta azul.
Se desmatamos e poluimos
De leste a oeste e de norte a sul?

Se nossos rios são poluidos,
Se nossos mares já são sertão.
Se nossas matas são raridades,
Se só causamos destruição?

Contaminados, contaminando,
A nossa raça se destrói.
Somos a raça desumana,
Essa doença que corrói.

O que faremos com o futuro,
Se água pura já não há?
O que será dos descendentes
Se esta água lhes faltar?

Somos os predadores naturais,
Vamos seguindo e destruindo
E nem olhamos para trás.
Nós parecemos tão marotos,
Somos piores que gafanhotos.

Proliferação

É possível ver a camada cinzenta no céu,
Gás carbônico na atmosfera.
É o monóxido formando um véu.

Os meus olhos estão lacrimejando,
Não consigo nem respirar.
O que é que estamos fazendo
Com este nosso lugar?

Construimos carros bonitos,
Altos prédios pra gente morar,
Nós vivemos amontoados,
Que jeito estranho de proliferar.

Nós somos todos iguais,
Somos individuais
E vivemos em coletivo.
Nós somos seres humanos,
Que nada temos de humanos.
Porque somos destrutivos.

Regra e exceção

O país é o que é
Por intenção ou omissão.
Fugir é admitir, ficar é ter que enfrentar
O povo e a multidão.

Quem saiu fez um estrago,
Quem entrou quer consertar.
O poder mudou de lado,
Todos querem se fartar.

O poder tem o poder
De corromper alguém do bem,
Mesmo que antes diga não,
No mundo da corrupção,
Não se sabe quem é quem.

Fazem furos, fazem rombos
Nas contas da união,
Estados e municípios
Usurpando a nação.

Gente honesta se integra,
Ainda bem que toda regra
Tem a sua exceção.

Pátria amada

Ê, este meu país...
Tão grande quanto o coração de sua gente.
É um País de grandes possibilidades,
De desejos e vontades
Deste povo tão contente.

Ê, quanta alegria.
Ê, quanta liberdade.
Esse País tão belo e abençoado,
Com seu povo dedicado,
Se destaca na bondade.

Eu vou ficar...
Esse é o meu lugar,
Este é o meu País,
Minha pátria tão feliz.

Eu vou ficar...
Juntamente com meu povo,
Quero ouvir cantar de novo,
Eu vou ficar, eu quero bis.

Falsos Profetas

Um novo tempo, um novo rumo
Pra quem sofreu desilusão.
A esperança se renova,
Enquanto bate um coração.

Seja sozinho ou em grupo,
Seja em grupo ou multidão.
Buscar a paz e a liberdade,
É sonho de toda nação.

Quando aparece um ladino
Enchendo o mundo de promessa.
Todo enfeitado, todo fino,
Dizendo que tem muita pressa.

Promete paz ao desespero,
Promete pão a quem tem fome.
Promete a cura para os males,
Alívio a dor que nos consome.

São eles os falsos profetas
Do qual falava meu senhor.
Estão servindo a si mesmos
Pois, não conhecem o amor.

Diferenças

Existe a diferença
E existe a igualdade.
Se diferem na essência,
Se igualam na verdade.

Existe a unidade
E existe a resistência.
Defendendo a igualdade,
Resistindo à potência.

Existe a discordância
E existe a mão-armada.
Ambas não tem distância,
São almas condenadas.

Existe a ganância
E existe a miséria.
São a causa e o efeito
De uma coisa muito séria.
É preciso consciência
De que tudo é só matéria.

O inimigo sem cara

Andamos de cabeça erguida
E olhares fitos no infinito,
Más, não enxergamos nada.
Levamos uma vida de perigo,
Lutamos para vencer o inimigo,
Que nos espera, sempre, à mão-armada.

Estamos sob o fio da navalha,
Cada esquina é um campo de batalha.
O inimigo tem, sempre a mesma cara,
É uma doença incurável, que não sara.

A violência vai crescendo como peste,
Vai se espalhando por aí feito uma praga.
Invade tudo, norte a sul, leste a oeste,
Essa verdade é cruel e nos esmaga.

Não sabemos distinguir o inimigo,
Pode ser aquele que ceia contigo.
Pode ser aquele te dá carinho,
Que se apresenta como seu melhor amigo.

Ignorante sem causa

Assim sou eu...
Sem caminho, sem rumo, sem direção.
Assim sou eu...
Sem carinho, sem afeto, sem emoção.

Assim sou eu...
Sem sentido, sem luta e sem ação.
Assim sou eu...
Sem atitude, sem causa e sem razão.

Assim sou eu...
Sem teto, sem terra e sem o pão.
Assim sou eu...
Sem trabalho, em emprego, sem um tostão.
Assim sou eu...
Sem saúde, sem direito sem educação.
Assim sou eu...
Sem sossego, sem paz, sem comunhão.

Assim são eles...
Sem compromisso, sem culpa, sem coração.
Assim sou eu...
Sou valioso em ano de eleição.

Providência Divina

Pra Deus não há diferença
Entre os filhos teus,
Quem é contrário a premissa,
Sofre o castigo de Deus.

Na escalada da vida
Tem muita gente esnobe,
O rico fica mais chato
A cada degrau que ele sobe.

Ainda bem que existe
A providência divina,
Aqui se faz e se paga,
Castigo vem lá de cima.

A salvação para o pobre
É o reino do céu.
O pobre é quem mais sofre,
Vive o amargo do fel.

A dor da Fome

Seu moço, eu não sei mais o que faço.
Seu moço, o alimento é escasso.
Seu moço, a fome está na minha mesa.
Futuro, para mim, é incerteza.

Seu moço, eu tenho medo do inverno.
A fome e o frio são um inferno.
Da terra eu tirava o meu sustento,
Na roça não faltava o alimento.

Quando cheguei aqui nesta cidade,
Eu tinha muita força de vontade.
Queria arranjar um bom emprego,
Quem sabe ter um pouco de sossego.
Más, eu me deparei com a verdade
E esta é minha realidade.

Seu moço, a coisa aqui tá muito séria.
Meus filhos tão crescendo na miséria.
Nosso país é cheio de riquezas,
Eu sou o outro lado, o da pobreza.

Seu moço, eu pareço mais um bicho.
Virando e revirando esse lixo.
Eu mato essa dor que me consome.
Más, seu moço, eu vou morrer de fome.

O que há pra Celebrar?

O que há pra celebrar?
Se há ódio e rancor no peito que devia amar.
Se não existe confiança em quem se deve acreditar.
Se a discórdia e a ganância estão em tudo que é lugar.

O que há pra celebrar?
Se quem devia proteger prefere, as vezes, atacar.
Se a fome e a miséria está presente em muito lar.
Se a escassez de alimento é um fantasma a assombrar.

O que há pra celebrar?
Se a água que é vida logo, logo faltará.
Se o beato já dizia que o sertão vai virar mar.
Se o verde do planeta logo não existirá.

Metamorfose da Morte (mosquito da dengue)

Do ovo à larva,
Da larva à pupa,
Da pupa ao ímago,
Do ímago à morte,
Não conte com a sorte.

É a metamorfose
Do inseto letal,
Uma simples picada,
É sempre fatal.

Não espere os sintomas,
Não existe vacina,
O melhor remédio
É que você se previna.

Se tomares cuidado
O inseto não vem,
Se pica, não fica,
Não sobra ninguém.

O inseto maduro
É o pior inimigo,
À todo instante
A gente corre perigo.

Temporal na Cidade

Há chuva lá fora,
O relâmpago, o trovão.
O medo do raio,
O medo da escuridão.

Em dias de chuvas,
Tenho que me prevenir.
Uma capa, uma bota,
Um barquinho pra sair.

Troveja, relampeja,
A cidade parou.
Todo mundo atento,
A chuva já começou.

Vai chover, vai chover,
A chuva vai alagar.
Não vou sair de casa
Pois, eu não sei nadar.

Promessa de Migrante

A gente finge que não sabe,
A gente finge que não vê.
Faz de conta que esqueceu,
Faz que nada aconteceu,
Más, é pra sobreviver.

Se alguém abrir o bico
Vai pro fundo do baú.
Todo mundo fica, eu fico
Com medo dos urubús.

Essa é a lei da selva,
Tem toque de recolher.
Lei seca, lei do silêncio,
O mais forte tem poder.

À tudo me submeto
Em nome de uma promessa.
Promessa que eu não fiz,
Más, isso não interessa.

Eu sou filho de migrante
E aqui criei raiz,
Não conheço outra vida
Noutro canto do país.

Somos Iguais

Ei, pera aí!
O que foi que aconteceu?
O direito acaba
Onde começa o meu.

Somos iguais em força,
Expressão e sangue.
Por isso, não se zangue.
Por isso, não se zangue.

A mesma língua quente,
A mesma orelha fria,
O mesmo olhar tristonho,
A mesma rebeldia.

Então, junte-se a mim
Na mesma canção.
Ao som do violão,
Vem me dar a mão.

Em nome do progresso,
Vamos fazer sucesso
E embalar a multidão.

Miscigenação

Sou negro-índio-europeu,
A raça que sobreviveu
à todas as atrocidades.
Misturo raça, credo e cor,
Um povo forte e lutador
Que resistiu tantas maldades.

Eu sou o povo brasileiro,
Tenho sangue de guerreiro,
Eu sou a miscigenação.
Eu sou um povo de raiz,
Eu construi esse país,
Eu sou a cara da nação.

Sou um país em ascensão,
Sou um povo de união,
Sou um país de esperança.
Eu sou um povo de beldades,
Com tantas possibilidades
De um país que é tão criança.

Senhores do Universo

Sonhamos ser e não somos,
Buscamos ter e não temos,
Queremos ir e não vamos,
Tentamos ver e não vemos.

A nossa liberdade tem limites,
O nosso alimento é escasso.
Os nossos valores distorcidos,
Caminham lado a lado no fracasso.

Perdemos o temor ao criador,
Perdemos os limites da razão.
Pensamos ser senhores do universo,
Tentamos recriar a criação.

Destruimos pensando em construir,
Caminhamos para a beira do final.
Corrompidos pela idéia de poder,
De volta a condição de animal.

O mundo, realmente está mudado,
O futuro à nossa frente se desfaz.
O nosso tempo, agora está contado,
A nossa raça caminha para trás.

Elementos Anti-Paz

Nem só de paz o mundo vive,
Nem só de luz, nem só de cor.
Realidade é muito triste,
O mundo esconde a sua dor.

Na diferença entre os homens,
A harmonia se desfaz.
A ignorância e a intolerância,
São elementos anti-paz.

A discórdia e a ganância
Fazem do homem um animal.
A sua sede de poder
É que o faz irracional.

Se todo mundo entendesse
A razão de existir.
Se o amor prevalecesse,
Ninguém pensava em destruir.

Esse mundo não é nosso,
Você não pode, eu não posso,
Só pensar em possuir.

A Guerra e a Terra

A diferença faz a guerra no campo ou na cidade,
Na briga pela terra, tanta promiscuidade.

A barriga está vazia, trabalho não existe,
Com tanta hipocrisia a gente fica triste.

A gente então e cansa de tanta má vontade,
A gente então se lança pra luta de verdade.

Pessoas indefesas nas frente de batalha,
Fazendo o manifesto sob o fio da navalha.

Ferramentas de trabalho representam ameaça,
Então, elas se armam como quem espera a caça.

A causa já resiste nessa luta desigual,
Lamentando o episódio de Eldorado e Pontal.

Nóis só queremo um pedacim de terra,
Nóis só queremo curtivá o chão.
Nóis num queremo sabê de guerra,
Nóis só queremo coiê o pão.

Promessa de Candidato

Ele se apresenta um ladino,
Intelectualmente fino.
Esperto, finório, astuto,
Se achando o absoluto.

Ela não pode lactar,
Amamentar, alimentar
O lactante de olhar lacrimejante.
Aflito, choroso, lastimoso a chorar.

Entre eles há uma negação,
Uma lacuna, um vácuo, um vão.
Uma vaga, uma promessa,
Uma falha e muita omissão.

Gatuno, larápio, rato.
Verdadeiro ladravaz.
Um ladroaço com aço,
Apenas um ladrão voraz.
Que sempre nos faz de palhaço.

Dois Lados da Política

De um lado se ouve o ladro
De um grupo elitizado,
Que se juntam numa redoma
E se acham politizados.

Se julgam acima de tudo,
Da lei, da ordem e dos costumes.
Estão servindo a si mesmos,
Se julgam homens imunes.

De outro se ouve o brado
De um povo forte que luta,
Cada dia uma batalha,
Cada dia uma disputa.

Que sofre e sente na pele
O descaso de seus eleitos,
De um lado estão as causas,
Do outro estão os efeitos.

A dor que consome o pobre,
Destrói o rico sem restrição.
A morte serve à todos,
É caminho sem distinção.

Somos a Legião

A indiferença é real.
E esse é nosso legado,
É lícito, legítimo, é legal.
A fome e a miséria
Nos fazem a escória
Dessa sociedade desigual.

A lei é pura lentidão.
O levante de um povo
Só se cala com a verdade
Que vem do coração.
A causa é permanente,
O povo está descrente
Com tanta negação.

Somos legatários,
Somos a multidão,
Somos os legionários,
Somos a legião.
A luta é legítima,
A lei é norma e regra,
É pura obrigação.

Verão e litoral

Temperatura tá subindo lá na capital,
O povo desabando aqui no litoral.
Todo mundo disputando um lugar ao sol,
A praia tá lotada, não dá nem pro futebol.

Pra descer a serra, demorei demais,
Tô pensando na galera que ficou pra trás.
Vou fincar meu guarda-sol, armar minha cadeira,
Vou pegar uma cerveja e ficar de bobeira.

Ê sol, ê mar, êta vida boa,
Assim é bom, a gente não enjoa.
Verão é bom e eu peço bis,
Essa natureza é uma beleza
E me faz feliz.

Tá faltando espaço, êta coisa boa,
Tem mulher demais, eu não tô atoa.
Aqui eu me divirto e não faço nada,
Fico muito feliz, olhando a mulherada.

Cidade grande

As bolhas na taça, o brinde é feito,
O suor no seu rosto te pega de jeito.

No carro da fuga, o perito trabalha.
O colar no pescoço, o calor da batalha.

Na rua deserta o desespero do caos.
O instante revela que tudo vai maus.

No pouso imperfeito, o estrago foi grande,
Ninguém se abala e o mal se expande.

É cidade grande, é evolução,
É o preço que e paga, é proliferação.

A nossa semana

Semana inteira, todo mundo na agonia,
Só correria, só trabalho de montão.
Segunda a sexta, todo mundo no serviço,
É compromisso para defender o pão.

Fim de semana, todo mundo na zoeira,
Na sexta feira, todo mundo na gandaia.
Tem muita gente afim de encontrar alguém,
Tem muita gente na espreita, na tocaia.

A maioria vai pra casa descansar,
Ver a família no aconchego do seu lar,
Fim de semana, uns trabalham, outros não.
Tem muita gente indo para diversão.

Já no domingo, todo mundo no sossego,
Só alegria, mordomia absoluta.
Um futebol, uma cerveja e um sofá,
Segunda feira, todo mundo na labuta.

Labuta

Todo mundo labutando,
Eu também vou labutar.
Labutar é coisa boa,
Enobrece a pessoa,
Faz a vida melhorar.

Todo mundo labutando,
Eu também vou labutar.
Não quero ficar atoa,
Quero uma labuta boa,
Eu preciso labutar.

Labutar é muito bom,
Labutar só me faz bem.
Quero uma labuta boa,
Não quero ficar olhando
A labuta de ninguém.

Labutar é necessário,
Faz bem para o coração.
Engorda a nossa poupança,
Em matéria de segurança,
Só nos da satisfação.

A cidade e a saudade

Eu cheguei nessa cidade,
Carregando a saudade.
Vim trazendo a esperança
No olhar de uma criança,
Na triste realidade.

Vivo na cidade grande,
A cidade é muito grande,
A cidade se expande,
Ela cresce todo dia.

Sinto uma saudade grande,
A saudade é muito grande,
A saudade se expande,
Ela cresce todo dia.

A canção que fiz para ela
Se perdeu nessa cidade,
Vim em busca de riqueza,
Abri mão da liberdade,

Hoje vivo na pobreza,
Hoje vivo na tristeza,
Hoje vivo de saudade.

O amor me leva além

O amor é como um vaso
Que vem enfeitar a mesa,
Que enfeita a minha vida
Com toda a delicadeza.

Quando o sol se esconder
A lua vem me iluminar,
Véu de luz que cobre o céu,
O amor é o luar.

O amor é como o mar,
Hora calmo e tranquilo,
Hora rude e revolto,
Hora isso, hora aquilo.

O amor é como o sol
Que aquece o coração,
É o ar que eu respiro,
É a minha emoção.

O amor é o sentimento
Que me leva mais além,
O amor é meu caminho,
O amor só me faz bem.

Santo Expedito

Agradeço a santo Expedito
Pela graça alcançada,
Eu zombava disso tudo,
Não acreditava em nada.

Agradeço a santo Expedito
Pela graça alcançada,
Eu que era tão sozinho,
Agora, tenho namorada.

Agradeço a santo Expedito,
Seja noite ou seja dia,
Eu que era só tristeza,
Sou um poço de alegria.

Agradeço a santo Expedito,
Agradeço a santo Expedito,
Eu que era muito feio,
Agora, fiquei bonito.

Agradeço a santo Expedito,
Agradeço a santo Expedito,
Eu que não acreditava,
Agora, eu acredito.

A musa do poeta

Roberta, seu olhar me desconserta,
Seu sorriso é descoberta,
É flecha no coração.
Roberta é criação de um poeta,
Criatura mais completa,
Auge da concepção.

Roberta é expressão do sentimento,
Criação do pensamento,
Do desejo do poeta.
Roberta tem postura de princesa,
É rainha da beleza,
É a musa predileta.

E quando criador e criatura
Atravessam a noite escura
E se apresentam no refrão.
A platéia aguardava inquieta,
A presença de Roberta
É delírio na canção.

Perdido no espaço

Me mandaram pra cá
Numa missão espacial.
Pra conhecer os mistérios
Do espaço sideral.

Eu fui mandado pra cá
Em nome do progresso.
Hoje vivo vagando,
Perdido no universo.

Agora sou viajante
No campo interplanetário,
Sou conhecido no mundo
Desbravador solitário.

Eu tô perdido no espaço sideral.
Tô viajando à milhões de anos luz.
Aqui de cima tudo parece normal.
Uma visão fenomenal que me seduz.

Isola

O pensamento positivo
É que faz o bom caminho.
Estar mal acompanhado,
É melhor andar sozinho.

Acredito em mau-olhado,
Olho gordo, olho grande.
Tenho medo da inveja,
É por onde o mal expande.

O pensamento negativo,
Eu bani da minha vida.
Não quero mais sofrimento
Nesta vida tão sofrida.

Isola, bate na madeira.
Isola, mande todo o mal embora.
Isola pois, se não o mal assola.
Isola, ponha o mal daqui pra fora.

A vida e a morte

Eu sei, muita coisa acontece
Sem que a gente entenda.
E a vida espera que a gente
Ainda, não se ofenda.

A vida me pregou uma peça,
Tirou toda a minha alegria,
No auge da ignorância,
Agi com muita covardia.

"Se ao menos a sua irmã
Viesse amanhã de manhã
E em tudo pusesse um fim".

Depois de uma noite de sono,
Enfrentando o meu abandono,
Descobri que não é tão ruim.

Pedi pra que ela me ouvisse,
Me arrependo de tudo que disse.
Se ela chegar amanha,
Na forma de uma maça,
Pedirei para a sua irmã,
Não atenda a minha tolice.

A saudade maior

Me deixe aqui com meu sofrimento,
Me deixe aqui com a minha dor.
Quero viver esse momento
De sentimento desolador.

É o momento mais doloroso,
Quando se perde alguém que amou.
O mundo fica entristecido,
Não faz sentido o que restou.

Só me resta chorar de saudade,
Só me resta lembrar com saudade.
Só me resta viver com saudade,
Só me resta morrer de saudade.

O tempo cura, o tempo sara,
A cicatriz, essa não sai.
O sofrimento que prevalece,
Com a saudade de quem se vai.

Saudade da fazenda

Quando lembro da fazenda, ai que saudade que me dá.
Me remeto ao passado e me pego a recordar.

Foram tempos tão felizes, que me fazem lamentar.
Estão vivos na memória, fazem parte da história
Que não canço de contar.

A casa de pau à pique, com esteio de braúna,
As portas de cabiúna e assoalho de jucá.
Jirau, era de taquara, a cerca feita de vara,
Paiol de jequitibá.

Os móveis feitos de junco, Jataí e jatobá.
Fumaça, fogão a lenha, pilão de jacarandá.

Lá no moinho de pedra, milho virava fubá.
Café passado na hora, o cheiro vinha avisar.

Água pura lá na bica, dia e noite sem parar.
Muito peixe no riacho, todo dia ia pescar.

A saudade que faz mal

Toda vez que o galo canta
A saudade se levanta,
É lembrança que faz mal.
Toda vez é desse jeito,
Essa dor invade o peito,
Sofrimento sem igual.

A saudade não descansa,
A saudade me alcança
Na porteira do curral.
La debruçado, faço verso, faço rima
Como quem vai rio a cima
Pegar fruta no quintal.

Essa saudade nunca me deixou em paz,
Nem imagina quanto mal ela me faz.
Me sinto preso às lembranças do passado,
Um completo atordoado
De há muito tempo atrás.

O peso do tempo

Eu podia fazer o que quisesse,
Madrugada, manhã ou meio dia,
Lusco-fusco, assim quando escurece,
Até quando a lua reluzia.

Podia sim, podia. Podia sim, podia.
Eu podia comer a qualquer hora,
A comida pra mim, mal não fazia,
Eu comia de tudo sem demora,
Não sentia nem mesmo uma azia.

Podia sim, podia. Podia sim, podia.

Esse tempo passou e hoje eu sinto,
Tudo aquilo que antes não sentia,
É o peso do tempo e da idade,
Só saudade de tudo que eu fazia.

Podia sim, podia. Podia sim, podia.

Hoje eu faço com moderidade,
O que antes era monotonia,
Pois, o tempo mudou minha vontade,
Minha vida perdeu a sintonia.

Podia sim, podia. Podia sim, podia.

Vida cronometrada

Ê tempo bom,
Em que eu vivia por prazer.
Ê tempo bom,
Em que eu tinha tempo pra perder.

Agora, já não posso,
O meu tempo é contado.
Tudo tem o tempo certo,
O tempo é cronometrado.

Saudade desse tempo,
Era um tempo de alegria.
Eu levava uma vida
Ao extremo, a revelia.

Tenho hora pra acordar,
Tenho hora pra sair,
Tenho hora pra chegar,
Tenho hora pra dormir.

Tenho hora pro trabalho,
Tenho hora pro lazer,
Tenho hora pro descanso,
Tenho hora pra viver.

Eu era feliz (Saudosismo)

Eu era muito feliz,
Saudade de tudo que fiz,
Era feliz e não sabia.
A pouco tempo atrás,
Meu mundo era cheio de paz
E a vida, cheia de alegria.

Eu caminhava sem medo,
Viver não tinha segredo,
Era mais um sonhador.
Eu tinha tempo pra vida,
Uma pessoa querida,
Um mundo de luz e de cor.

Hoje, está tudo mudado,
Me sinto ultrapassado,
O que era bom, já passou.
Me sinto muito perdido,
Num mundo desconhecido
Só a saudade restou.

Viver me satisfaz

Eu não tenho tudo
Que eu sempre quis,
Está faltando tudo
Más, estou feliz.

Estou feliz da vida
Pois, eu tenho paz,
Saúde e liberdade,
Isso me satisfaz.

Me satisfaz o prazer,
O prazer de viver.
O poder de provar,
O poder de saber.

O poder de ouvir,
De sentir e falar.
O poder de ver,
De ser e estar,
Me satisfaz o viver.

A base do homem

A todo instante da vida,
Dou graças a vida que tenho.
Sem nunca esquecer as raízes,
Nem o lugar de onde venho.

A base de um ser humano,
Com toda a certeza é a família.
É onde e traçam os planos,
É onde e marcam as trilhas.

O caráter vem do berço,
O molde é a criação.
Criador e criatura
Numa santa comunhão.

Somente a concepção
Não define os caminhos,
Os valores e os temores,
Devem estar nos novos ninhos.

Exemplo

Eu pedi pra parar, parando.
Eu pedi pra sorrir, sorrindo.
Eu pedi pra cantar, cantando.
Eu pedi pra ouvir, ouvindo.

Eu pedi pra chegar, chegando.
Eu pedi pra fazer, fazendo.
Eu pedi pra lutar, lutando.
Eu pedi pra ceder, cedendo.

Eu pedi pra chorar, chorando.
Eu pedi pra partir, partindo.
Eu pedi pra ficar, ficando.
Eu pedi pra seguir, seguindo.

Eu pedi pão e paciência,
Eu pedi calma e consciência,
Tolerância, um pouquinho mais.
Eu pedi luz e harmonia,
Eu pedi força e alegria,
Eu pedi esperança e paz.

O amor regenera

Alguém, me falou que o amor
É mais forte que a dor
Que habita um coração.
Só o amor, poderia me salvar,
Poderia me tirar dessa triste solidão.

Então, eu fiquei tão deprimido,
Eu estava arrependido
Por estar sofrendo assim.
Tratei de esquecer aquela ingrata,
Que ainda, me maltrata,
Fez o que bem quis de mim.

Saí pela vida sem destino,
Me sentindo um menino
Que ganhou a liberdade.
Descobri que o amor nos regenera,
Que acalma nossa fera
E alivia de verdade.

Cheio de promessa

Essa tal felicidade
É uma coisa muito estranha.
A gente só é feliz
Enquanto a gente ganha.

Eu ainda, estou sofrendo,
É porque estou sentido.
Não choro por seu amor,
Más, choro por ter perdido.

E quando a gente perde,
Sofre, chora e desespera.
Vai de um lado para o outro
Parecendo uma fera.

Más, um dia tudo passa
E outra história recomeça.
A gente será feliz,
Então, se enche de promessa.

Amanhã, eu serei feliz amanhã.
Amanhã, eu serei feliz amanhã de manhã.

Propósito maior

Tudo que a gente faz,
Tudo que a gente quer,
É ser feliz, cada vez mais,
Muita saúde e muita paz,
A gente enfrenta o que vier.

Mesmo sabendo que a vida,
Tem um propósito maior.
A gente pensa em dinheiro
E passa o tempo inteiro
Querendo o melhor.

O importante nessa vida,
Ninguém duvida, é o amor.
Pois, tudo que eu possuir,
Vai ficar aqui no dia em que eu for...

Eu vou viver, eu vou viver
Com liberdade, paz e amor.
Vou me livrar das perdições,
Me desfazer das ilusões,
Deixar de ser um perdedor.

Cante comigo

Eu canto pelos cantos desse meu país,
Eu canto porque o canto é que me faz feliz.

Eu canto pois, cantar é uma satisfação.
Eu canto pois, o canto alegra o coração.

Eu canto pelos cantos da minha cidade,
Eu canto, porque o canto trás felicidade.

Eu canto pelas ruas e nas avenidas,
Eu canto pois, o canto alegra nossas vidas.

Cante comigo,
Qualquer que seja a canção.
Do fundo do peito,
Cante com o coração.

Sinta na alma,
O que a canção vai fazer,
É a magia de uma canção
Que eu fiz pra você.

O sofrimento e o dia

O céu está cinzento,
Eu não consigo disfarçar meu sentimento.
O céu está cinzento,
Como se o dia fosse parte do meu pensamento.

Como se o sol quisesse
Partilhar comigo essa dor.
Como se as nuvens tão escuras,
Mostrassem seu rancor.

A chuva fina vem trazer todo o seu acalento,
O astro rei se escondeu de tamanho sofrimento,
Já percebeu que sua luz não vai me alegrar.
Como se o vento solidário, quisesse me acalmar.

O meu motivo é o desdém,
De alguém que ainda é...
Que sabe disso e que por isso,
Faz de mim o que bem quer.

Alguém que usa e abusa,
Desse meu nobre sentimento.
Que me remete ao mais profundo
E doloroso sofrimento.

O som do vento

Na madrugada eu ouço
Que me distrai,
Um som que vem,
Outra hora, um som que vai.

Como se o vento
Tocasse uma sinfonia,
Um som que tem
A mais completa melodia.

Com o silêncio que a madrugada trás,
O vento trouxe uma canção que satisfaz.
É a canção mais bela que eu já ouvi,
É a canção que não esqueço nunca mais.

Harmonioso é o som
Que o vento trás,
O som que trouxe
O acalento e a paz.

Minha lua

Minha lua alumia minha rua,
Minha lua alumia meu caminho.
Minha lua é a minha companheira,
Minha lua nunca me deixa sozinho.

Minha lua alumia meu destino,
Minha lua faz sentir-me um menino.
Lua cheia clareando minha estrada,
Tenho a lua, não preciso de mais nada.

Minha lua, minha eterna companheira.
Minha lua tão formosa e faceira.
És fiel a esse pobre apaixonado,
Que consolas toda noite com teus raios prateados.

Minha lua, lua cheia ou minguante,
Minha lua, lua nova ou crescente,
Minha lua em tuas fazes, és tão bela,
Minha lua sabe o que a gente sente.

Pintura do criador

Estava observando o céu,
Estava observando o mar.
Estava aqui nesse marasmo,
Me preparando pra zarpar.

Estava vendo o pôr do sol,
Sentindo o balanço do mar.
Vendo o quanto é magnífico,
O sol se esconder no mar.

O crepúsculo dourado,
Sobre a imensidão do mar.
Visão de privilegiado,
Minutos para contemplar.

O crepúsculo dourado
É visão do esplendor.
Deixando a impressão de um quadro,
Pintado pelo criador.

O crepúsculo dourado
É fonte de inspiração,
É de onde o poeta
Vem tirar sua canção.

Amanheceu

Mais um dia amanheceu,
Eu acordei feliz.
O sol se abriu pra mim,
O sol me aqueceu.
Tão claro como eu quis,
No céu que Deus me deu.

Olhando a natureza,
O céu azul, o ar tão puro.
Que mais posso querer?
Meu Deus quanta beleza,
Me sinto mais seguro
E pertinho de você.

Quanto mais eu olho,
Muito mais eu vejo.
São de pequenas coisas que se é feliz.
Nos rios, eu me banho,
Nas flores, eu dou beijos,
No vento abro os braços e leva o que se diz.

Dando um tempo

Tanta coisa nesse mundo,
Acontecendo nesse exato momento.
Tem muita gente alegre e feliz,
Tem muita gente sofrendo.

Tem muita gente chegando
E muita gente partindo,
Tem muita gente chorando
E muita gente sorrindo.

Enquanto isso, eu sentado aqui
Nessa mesa de bar,
Relaxando, dando um tempo,
Vendo a hora passar.
Tomando uma bebida,
Matando o tempo,
Pra ele não me matar.

Estou dando um tempo,
Estou cansado e ninguém é de aço.
Estou dando um tempo,
Estou relaxando, aliviando
Todo o meu cansaço.

Medroso

O medo é meu equilíbrio,
É que me faz cauteloso.
Meu medo trás segurança,
Por isso é que sou medroso.

Meu medo é meu segredo,
Meu medo, eu não discuto.
Meu medo me chega cedo,
Meu medo é absoluto.

Tenho medo de ter medo,
Tenho medo de escuro.
Medo de ficar sozinho,
Tenho medo do futuro.

O medo é qualidade,
O medo me deixa esperto.
A vida, eu valorizo,
Vivo de olho aberto.

Carrossel

Falo do que não sou,
Espero o que não vem.
Acredito em destino
E papai noel também.
Como só o que me dão,
Faço o que mandam.
Sou apenas um cavalo nesse carrossel,
Nesse vai e vem.

Acredito no futuro,
Não duvido de ninguém.
Falo pouco, sou quieto,
Moro mau, não durmo bem.

Esperança, eu carrego,
As raízes, eu não nego,
Minha paz é mais além.
Vai, vai, vai, vem, vem, vem,
A vida é um vai e vem,
Faço o bem, não olho a quem.

Cria do sentimento

Atravessei o deserto,
Pensando estar muito perto,
Querendo te encontrar.
Andei por muitos caminhos,
Más, sempre estive sozinho,
Você não estava lá.

Eu te perdia em sonhos,
Em pesadelos medonhos,
Daqueles de amedrontar.
Eu dominava dragões,
Eu enfrentei multidões,
Querendo te libertar.

Más, você não se liberta,
Você é só descoberta,
É a minha ilusão.
Cria do meu sentimento,
Vive no meu pensamento,
Mora no meu coração.

Já tive tantos amores,
Passei por todas as dores,
Prefiro nem me lembrar.
Fui caça e caçador,
Chorei por falso amor
Que prometeu me esperar.

Lutar e vencer

A cada dia mais feliz,
Enquanto vida existir.
Terei o que eu sempre quis,
Por isso devo prosseguir.

Enquanto o dia amanhecer,
Enquanto esse sol surgir.
Eu vou lutar para vencer,
Eu não posso desistir.

Viver é uma alegria,
Sorrir é uma satisfação.
A esperança é um novo dia,
Futuro é realização.

Eu não sou dono do mundo,
Não pertenço a ninguém.
Esta vontade vem do fundo,
Inesperadamente vem.

Lá do fundo do meu eu,
Lá do meu desconhecido.
Do fundo ao meu apogeu,
Só então, terei vencido.

O tempo é a solução

O que dói é saber
Que sentirei saudades
Dos momentos felizes
Que estamos vivendo.
A vida cria raízes
E por elas estarei sofrendo.

É tristeza saber que tudo é passageiro.
Nada é para sempre, nada prevalece.
A realidade é dolorosa.
Más, a gente sempre esquece.

Difícil é conviver com a insatisfação.
Com o desejo louco, amarrado a indecisão.
O que passou não volta,
O mudo dá muitas voltas,
O tempo é a solução.

Luz que muito brilha

O que mais posso querer?
Tenho tudo pra viver,
Nessa viva eu sou feliz.
O homem sem uma luz,
Carrega mais uma cruz,
Leva a vida por um triz.

Eu mudei minha conduta,
Encarei com muita luta,
O caminho que tracei.
O suor do meu trabalho,
Foi apenas, um atalho
Pra chegar onde cheguei.

Hoje, eu não tenho nada,
Nessa vida amargurada,
Trago nada de valor.
Só tenho minha família,
Essa luz que muito brilha,
Muita paz e muito amor.

A vida não faz pausa

Onde eu estava não sei,
Não sei por onde entrei,
Nem sei onde é que vai dar.
Só sei que estava sozinho,
Eu não marquei o caminho,
Não sei por onde voltar.

A vida é um labirinto,
Eu sempre falo o que sinto,
Não tenho pápas na língua.
Prefiro ser a ferida,
Ser o pecado da vida,
Que ser somente uma íngua.

Eu quero ser o eleito,
Prefiro ser o efeito,
Que ser somente a causa.
Levo a vida ao extremo,
Sou barco, sou mar e sou remo,
A vida não faz uma pausa.

Do mesmo jeito

Eu vou daqui pra lá,
Como quem vem de lá pra cá.
Do mesmo jeito,
A gente pode se encontrar.

Eu estou indo,
Más, também posso voltar.
Ninguém escolhe
Nem a hora, nem lugar.

A vida é do jeito que devia ser.
É bem mais simples do que possa parecer.
Depende apenas, do seu modo de olhar.
De entender, compreender, interpretar.

Depois, é só agir com emoção
E a razão para tentar equilibrar.
Uma pitada de amor no coração,
A paciência te leva a qualquer lugar.

Quem me dera

Há tanta coisa que eu deixei pra depois.
Há tanta coisa que eu deixei de fazer.
Há tanta coisa que eu deixei para trás.
Há tanta coisa que eu deixei de viver.

Quem me dera voltar ao passado,
Refazer tanta coisa que fiz.
Consertaria todos os erros,
Quem sabe assim, eu seria feliz.

Eu brincaria descalço na lama,
Eu não iria tão cedo pra cama,
Eu gritaria pro mundo ouvir.

Eu abriria mão do que tenho,
Eu lutaria com muito empenho,
O meu esforço seria sorrir.

Caminhos tortos

Eu andei por uns caminhos tortos,
Já sofri demais, já fui feliz.
Em cada canto eu tive um amor,
Eu já levei a vida por um triz.

Me entreguei à todas as paixões,
Já passei por muita solidão.
Fui atrás de muitas ilusões,
Machuquei demais meu coração.

Más, o sofrimento fortalece.
Agora, sei onde não posso errar.
Vou achar alguém que me interesse
E mais uma vez, eu sei que vou amar.

Eu preciso de uma nova chance,
Vou provar que posso superar.
Eu preciso de um novo romance,
Esquecer quem só me fez chorar.

Não é fácil começar de novo,
Não é fácil apagar a dor.
Não é fácil esquecer as mágoas,
Se um dia existiu amor.

Quem sou eu?

A muito tempo estou perdido nessa vida.
Não sei quem sou, de onde vim, pra onde vou.
Estou buscando algo que eu nem conheço.
Hoje, padeço em nome do que passou.

Eu não me lembro de nada do meu passado.
O meu presente é tudo que eu posso ter.
O meu futuro, ainda, estou construindo.
Eu vou seguindo do jeito que tem de ser.

Quem sabe quem sou eu, levante a mão.
Quem sabe quem sou eu, que fale agora.
Quem sabe quem sou eu, me dê a mão.
Quem sabe quem sou eu, me leve embora.

Desafiando a solidão

Um asovio ecoando
No meio da imensidão.
Um grito solto no espaço,
Revela a minha solidão.

Sou um gigante em pensamento,
Só mais um grão na vastidão.
Eu não domino o sentimento,
Que me domina o coração.

Eu sofro por estar sozinho,
Eu escolhi esse caminho
Em nome da superação.
Eu choro por não ter ninguém,
É tão difícil ir além,
Buscar a realização.

A vida é um desafio,
Eu desafio toda a dor.
Eu vivo sempre no limite
Mais próximo do criador.

Estrada da vida

De repente me vejo sem nada,
Numa estrada, sozinho a vagar.
A estrada só tem um sentido,
Pois, não é permitido voltar.

Vou andando em linha reta,
Minha meta, preciso alcançar.
Cada passo é um complemento
Do momento que ainda virá.

Só consigo ver o horizonte
E a fonte onde vou beber.
Passo a passo, compondo uma história,
Tragetória de todo o viver.

Nessa estrada não vejo o final,
Meu normal é viver e aprender.
Construindo a minha existência,
A paciência me trás o saber.

Estradeiro sem lugar

Eu vou seguindo meu caminho,
Sozinho, sozinho.
Não tenho hora pra chegar,
Pra chegar, pra chegar.

Sou um filho da estrada
E nada vai me parar.
Sou filho de boiadeiro,
Estradeiro sem lugar.

Trago os traços dessa luta
Estampado no meu rosto,
Más, enfrento essa batalha
Com carinho e muito gosto.

O caminho que eu faço
É apenas, conseqüência
Dessa vida que eu levo
Sem prestar obediência.
Sou o dono de mim mesmo
E levo a vida a esmo,
Más, com muita competência.

Voei sem direção

Livre, livre.
Livre como um passarinho
Que abandonou o ninho
E aprendeu a voar.
Abracei a imensidão
E voei sem direção,
Voei apenas, por voar.

Voei, voei
E conheci a liberdade,
Fui em busca da verdade,
Quis saber mais sobre mim.
Eu quis saber do meu passado,
Quis saber do meu futuro,
O meu começo e o meu fim.

Eu descobri que o presente,
É o que existe realmente,
Futuro ainda, há de vir.
O que passou não volta mais,
Se foi, ficou, deixa pra trás,
O importante é prosseguir.

Salto no infinito

Não quero mais a verdade,
Fujo da realidade,
Prefiro me esquivar.
Criei o meu própio mundo
E hoje vivo no fundo,
Com medo do que virá.

Eu quis saber muito mais,
Eu fui além, fui atrás,
Eu fui buscar o sentido.
Eu viajei no futuro,
Eu retornei inseguro,
Agora, estou mais perdido.

Eu sabotei a viagem,
Eu violei a passagem,
Eu corrompi o porteiro.
Saltei para o infinito,
Ainda não acredito
Que pude ser o primeiro.

Mundo dos sonhos

Eu vou viajar pelo mundo dos sonhos,
Onde se pode voar.
Pelo mundo dos sonhos,
Onde se pode tocar
O céu e o mar,
no mesmo lugar.

Eu vou porque sei,
Eu ei de ser rei
E em algum lugar.
Vou pra terra do nada,
Onde tudo acontece,
Num pestanejar.

Onde tudo se funde e tudo se desmembra.
Onde tudo se esquece, onde tudo se lembra.
Onde tudo se torce, onde tudo se estica.
E tudo se esclarece e tudo se complica.
Onde tudo é real e tudo é ilusão.
E tudo se resume na palma da mão.

A vida continua

Não vou ficar, não vou.
Não vou voltar, não vou.
Eu tenho que seguir, quero saber quem sou.

Em outra direção, preciso caminhar.
Eu posso até parar más, eu não vou voltar.

Não vou voltar atrás, não vou me arrepender.
Não dá pra apagar, a vida é pra valer.

Ainda vou chorar, ainda vou sofrer.
Sei que a dor maior, ainda vou viver.
 
A nada de valor, eu vou me apegar.
Não posso me prender, eu vou continuar.

Derrotas e vitórias

Eu vou, eu preciso ir.
Eu só vou parar quando não tiver
Forças pra seguir.

Eu vou, pra qualquer lugar.
Esse mundo é grande
E a vida responde
Enquanto eu perguntar.

Eu vou, rumo ao infinito.
Onde o que é bonito,
Pode-se tocar.

Cada um tem um caminho,
Cada qual tem sua história,
Todos tem a liberdade de
De escolher a tragetória.

Os destinos são repletos
De caminhos incompletos.
São derrotas e vitórias.

Virando a página

Muito além do horizonte
Existe um lugar.
Onde eu posso ser feliz,
Onde eu posso me encontrar.

Onde eu posso ser amado,
Onde eu seja respeitado
E encontre alguém pra amar.
Vou dar adeus a tudo que passou,
Vou dar adeus a tudo que ficou,
Vou virar a página e recomeçar.

Levarei comigo as lembranças das pessoas,
Somente as coisas boas,
O resto eu vou deixar.
Por isso eu vou, eu quero esquecer.
O que me fez sofrer,
Não quero mais relembrar.

Eu vou tirar do meu pensamento,
Todo o meu sofrimento,
A dor que me faz penar.

Minha liberdade

Tudo que eu preciso está na mala,
É tudo que eu preciso pra viver.
Só tenho o que posso carregar,
Só quero o que posso merecer.

Não tenho lugar, nem hora certa,
Não existe dia pra chegar.
Não carrego chaves, nem relógio
E nada pode me aprisionar.

A linha do horizonte é o limite,
O sol é companheiro de jornada.
A lua é a minha lamparina,
A luz que ilumina a madrugada.

O vento vai traçando meus caminhos,
Os rios vão me dando a direção.
As flores vão mostrando a beleza,
Enfeitando o meu mundo de ilusão.

Em busca de um lugar

Faço a rima que eu quiser
E toco pra você me ouvir cantar.
Eu deixo tudo pra você
E parto em busca de um lugar.

Onde eu possa me sentar
E ouvir o ecoar da minha própria voz.
Olhar o horizonte azul,
Contemplar a vida e não pensar em nós.

E quando entardecer,
Gritar pro sol não se esquecer
E amanhã voltar.
Observar as nuvens claras
Que vão com o vento pra qualquer lugar.

E quando anoitecer,
Fazer um fogo pra me aquecer,
Saudar as estrelas que vão me velar.
Cantar as canções que eu fiz
E sentir saudades na luz do luar.

Um lugar além...

Se alguém telefonar,
Diga que eu não vou voltar.
Se acaso for minha mulher,
Diga pra não me esperar,
Nem pro jantar, nem pro café.

Eu abro mão do que eu tenho,
Eu deixo tudo que é meu.
Eu vou sem rumo e sem parada,
Diga que não sabe de nada,
Não sabe o que aconteceu.

Estou cansado dessa luta,
Eu não agüento essa loucura.
Vou traçar outro caminho,
Vou sair nessa procura.

Eu não quero ser capacho,
Escolacho de ninguém.
Não quero ser pau mandado,
Não suporto esse desdém.
Vou em busca da verdade,
Vou atrás da liberdade,
Meu lugar é mais além.

Um lugar escondido

Quero sair por aí sem rumo certo.
Correr, pedalar e nadar,
Saltar, mergulhar e voar,
Na terra, no ar e no mar,
Ou então, no deserto.

Achar um lugar escondido,
Onde o homem não tenha chegado.
Onde eu possa ficar à vontade,
Sem ter medo da realidade
E não me sinta tão sufocado.

Eu quero ver a águia no céu,
Quero ver a baleia no mar,
Eu quero ver os bichos vivendo
Em todo lugar.

Eu quero ver a luz do sol,
Eu quero ver a cor do luar.
Quero sentir a mãe natureza,
Em toda a sua pureza, me abraçar.

Verdadeiro valor

Eu quero um dia por vez,
Eu quero um mundo sem dor.
Esqueço o que já se fez,
Faço crescer o amor.

Eu descobri no amor
A verdadeira razão.
O verdadeiro valor
Está no meu coração.

Na vida, eu quero paz,
O mundo que a gente faz,
De alegria e compreensões.

Eu quero luz, quero cor,
Eu quero muito amor
Em todos os corações.

Mudança

Um dia de cada vez, pois é.
É assim que vou fazer, pois é.
Esquecer o que se fez, pois é.
Pensar no que vou fazer.

Cada dia é um começo,
Eu só quero o que mereço,
Quero nada de ninguém.
Encaro com muita luta,
Fui criado na labuta,
Só quero o que me convém.

Um passado de tristezas,
De vícios e avarezas,
Vou deixando para trás.
Eu não quero as lembranças
Das discórdias e vinganças,
Que roubaram minha paz.

Acredito no futuro
E me sinto mais seguro,
Porque posso melhorar.
Quero um mundo bem mais justo,
Não quero viver de susto,
Minha vida vai mudar.

Corrente do amor

O que você pode fazer
Para mudar o seu lugar?
O que você pode mudar
Pra melhorar o seu viver?

Agasalhar à quem tem frio,
Alimentar à quem tem fome.
Isso revela o seu brio,
Esse mal você consome.

Se você muda por mudar,
Não faz sentido refazer.
Se você faz só por amar,
Viver se torna um prazer.

Muda, muda, muda o seu modo de pensar.
Pense, pense, pense em como ajudar.
Faça parte dessa corrente do amor.
Viva a vida, seja na vida um benfeitor.

Tudo muda o tempo todo

Eu nem sempre sei de tudo,
Eu não posso te dizer.
Não consigo adivinhar
O que vai acontecer.

Tudo muda a todo tempo,
Tudo toma um novo rumo.
Todo o plano que se fez
Se transforma em resumo.

É difícil acreditar
Que todo o sonho foi em vão.
Parte do que eu sonhei pode se realizar,
O restante eu sei que não.

Eu não vou lhe dar certeza
De que tudo assim será.
O futuro, à Deus pertence
E tudo poderá mudar.

O dom de procriar

É claro que não se tem
Tudo o que a gente sonha,
Feliz de quem pode ter
Parte do que a gente sonha.

Querer nem sempre é poder,
Viver é minha razão.
Viver é ter que aprender
A aceitar a condição.

Viver é tudo que eu sei fazer,
Pois, afinal de contas
Não há nada além.
Além de ser e de viver.

Existir me satisfaz,
Estar aqui é muito bom,
Tenho o dom de procriar,
Existirei por esse dom.

A vida é conseqüência...

Assumir a conseqüência
É o melhor a se fazer,
A vida é uma seqüência
Do que pode acontecer.

Encarar tudo de frente
E buscar forças pra lutar,
Fazer algo diferente
Na esperança de mudar.

Eu vejo tudo que antes não via,
Se transformou em alegria
Toda tristeza que eu sentia.

Eu aprendi a conviver
Com esse medo perder,
Não vivo mais como eu vivia.

Lutas em vão

As batalhas que travei
Causaram muita tristeza.
Pessoas que magoei,
Defendendo a incerteza.

Infeliz eu me tornei,
Na busca desesperada.
A que ponto eu cheguei,
Perdido na mesma estrada.

Os reis que idolatrei,
Nos caminhos que tracei,
As lutas foram em vão.
A luz que tanto busquei,
Do jeito que eu sonhei,
Estava em meu coração.

Dom supremo

És a paz que me move,
És a paz que me faz tão feliz.
És a luz dos meus olhos,
És meu guia, noite e dia tão feliz.

És a paz que me faz
bem demais,
És a luz que conduz minha cruz.
És o pão, és o chão, és razão.

És a flor, és a dor, és amor.
Tu és o motivo dessa vida,
Em ti eu encontro a saída.

Tu és a verdade e o caminho,
Contigo, nunca estarei sozinho.
Tu és a essência da bondade,
Provastes o amargo da maldade.
Provaste que o amor é dom Divino,
Supremo, és a própria divindade.

O cara

Eu vi o cara que ascende o sol,
Eu vi o cara que ascende a lua,
É o mesmo cara que dorme na rua,
Que não tem cama, nem tem um lençol.

É o mesmo cara que encheu o mar,
Como quem enche a piscina de casa,
É o mesmo cara que sabe voar,
É só um cara que voa sem asas.

É só um cara que sabe quem é,
Que acredita e sabe o que quer,
É só um cara que a gente despreza
E muitas vezes invoca em rezas.

Eu tive um sonho com um cara assim,
Que apontava e sorria pra mim.
Me conduziu e me mostrou o caminho
E me falou que eu não estava sozinho.

Postagens mais visitadas