Total de visualizações de página

Esta é uma página do Facebook, Clique para Curtir ou Compartilhar

Verão e litoral

Temperatura tá subindo lá na capital,
O povo desabando aqui no litoral.
Todo mundo disputando um lugar ao sol,
A praia tá lotada, não dá nem pro futebol.

Pra descer a serra, demorei demais,
Tô pensando na galera que ficou pra trás.
Vou fincar meu guarda-sol, armar minha cadeira,
Vou pegar uma cerveja e ficar de bobeira.

Ê sol, ê mar, êta vida boa,
Assim é bom, a gente não enjoa.
Verão é bom e eu peço bis,
Essa natureza é uma beleza
E me faz feliz.

Tá faltando espaço, êta coisa boa,
Tem mulher demais, eu não tô atoa.
Aqui eu me divirto e não faço nada,
Fico muito feliz, olhando a mulherada.

Cidade grande

As bolhas na taça, o brinde é feito,
O suor no seu rosto te pega de jeito.

No carro da fuga, o perito trabalha.
O colar no pescoço, o calor da batalha.

Na rua deserta o desespero do caos.
O instante revela que tudo vai maus.

No pouso imperfeito, o estrago foi grande,
Ninguém se abala e o mal se expande.

É cidade grande, é evolução,
É o preço que e paga, é proliferação.

A nossa semana

Semana inteira, todo mundo na agonia,
Só correria, só trabalho de montão.
Segunda a sexta, todo mundo no serviço,
É compromisso para defender o pão.

Fim de semana, todo mundo na zoeira,
Na sexta feira, todo mundo na gandaia.
Tem muita gente afim de encontrar alguém,
Tem muita gente na espreita, na tocaia.

A maioria vai pra casa descansar,
Ver a família no aconchego do seu lar,
Fim de semana, uns trabalham, outros não.
Tem muita gente indo para diversão.

Já no domingo, todo mundo no sossego,
Só alegria, mordomia absoluta.
Um futebol, uma cerveja e um sofá,
Segunda feira, todo mundo na labuta.

Labuta

Todo mundo labutando,
Eu também vou labutar.
Labutar é coisa boa,
Enobrece a pessoa,
Faz a vida melhorar.

Todo mundo labutando,
Eu também vou labutar.
Não quero ficar atoa,
Quero uma labuta boa,
Eu preciso labutar.

Labutar é muito bom,
Labutar só me faz bem.
Quero uma labuta boa,
Não quero ficar olhando
A labuta de ninguém.

Labutar é necessário,
Faz bem para o coração.
Engorda a nossa poupança,
Em matéria de segurança,
Só nos da satisfação.

A cidade e a saudade

Eu cheguei nessa cidade,
Carregando a saudade.
Vim trazendo a esperança
No olhar de uma criança,
Na triste realidade.

Vivo na cidade grande,
A cidade é muito grande,
A cidade se expande,
Ela cresce todo dia.

Sinto uma saudade grande,
A saudade é muito grande,
A saudade se expande,
Ela cresce todo dia.

A canção que fiz para ela
Se perdeu nessa cidade,
Vim em busca de riqueza,
Abri mão da liberdade,

Hoje vivo na pobreza,
Hoje vivo na tristeza,
Hoje vivo de saudade.

O amor me leva além

O amor é como um vaso
Que vem enfeitar a mesa,
Que enfeita a minha vida
Com toda a delicadeza.

Quando o sol se esconder
A lua vem me iluminar,
Véu de luz que cobre o céu,
O amor é o luar.

O amor é como o mar,
Hora calmo e tranquilo,
Hora rude e revolto,
Hora isso, hora aquilo.

O amor é como o sol
Que aquece o coração,
É o ar que eu respiro,
É a minha emoção.

O amor é o sentimento
Que me leva mais além,
O amor é meu caminho,
O amor só me faz bem.

Santo Expedito

Agradeço a santo Expedito
Pela graça alcançada,
Eu zombava disso tudo,
Não acreditava em nada.

Agradeço a santo Expedito
Pela graça alcançada,
Eu que era tão sozinho,
Agora, tenho namorada.

Agradeço a santo Expedito,
Seja noite ou seja dia,
Eu que era só tristeza,
Sou um poço de alegria.

Agradeço a santo Expedito,
Agradeço a santo Expedito,
Eu que era muito feio,
Agora, fiquei bonito.

Agradeço a santo Expedito,
Agradeço a santo Expedito,
Eu que não acreditava,
Agora, eu acredito.

A musa do poeta

Roberta, seu olhar me desconserta,
Seu sorriso é descoberta,
É flecha no coração.
Roberta é criação de um poeta,
Criatura mais completa,
Auge da concepção.

Roberta é expressão do sentimento,
Criação do pensamento,
Do desejo do poeta.
Roberta tem postura de princesa,
É rainha da beleza,
É a musa predileta.

E quando criador e criatura
Atravessam a noite escura
E se apresentam no refrão.
A platéia aguardava inquieta,
A presença de Roberta
É delírio na canção.

Perdido no espaço

Me mandaram pra cá
Numa missão espacial.
Pra conhecer os mistérios
Do espaço sideral.

Eu fui mandado pra cá
Em nome do progresso.
Hoje vivo vagando,
Perdido no universo.

Agora sou viajante
No campo interplanetário,
Sou conhecido no mundo
Desbravador solitário.

Eu tô perdido no espaço sideral.
Tô viajando à milhões de anos luz.
Aqui de cima tudo parece normal.
Uma visão fenomenal que me seduz.

Isola

O pensamento positivo
É que faz o bom caminho.
Estar mal acompanhado,
É melhor andar sozinho.

Acredito em mau-olhado,
Olho gordo, olho grande.
Tenho medo da inveja,
É por onde o mal expande.

O pensamento negativo,
Eu bani da minha vida.
Não quero mais sofrimento
Nesta vida tão sofrida.

Isola, bate na madeira.
Isola, mande todo o mal embora.
Isola pois, se não o mal assola.
Isola, ponha o mal daqui pra fora.

A vida e a morte

Eu sei, muita coisa acontece
Sem que a gente entenda.
E a vida espera que a gente
Ainda, não se ofenda.

A vida me pregou uma peça,
Tirou toda a minha alegria,
No auge da ignorância,
Agi com muita covardia.

"Se ao menos a sua irmã
Viesse amanhã de manhã
E em tudo pusesse um fim".

Depois de uma noite de sono,
Enfrentando o meu abandono,
Descobri que não é tão ruim.

Pedi pra que ela me ouvisse,
Me arrependo de tudo que disse.
Se ela chegar amanha,
Na forma de uma maça,
Pedirei para a sua irmã,
Não atenda a minha tolice.

A saudade maior

Me deixe aqui com meu sofrimento,
Me deixe aqui com a minha dor.
Quero viver esse momento
De sentimento desolador.

É o momento mais doloroso,
Quando se perde alguém que amou.
O mundo fica entristecido,
Não faz sentido o que restou.

Só me resta chorar de saudade,
Só me resta lembrar com saudade.
Só me resta viver com saudade,
Só me resta morrer de saudade.

O tempo cura, o tempo sara,
A cicatriz, essa não sai.
O sofrimento que prevalece,
Com a saudade de quem se vai.

Saudade da fazenda

Quando lembro da fazenda, ai que saudade que me dá.
Me remeto ao passado e me pego a recordar.

Foram tempos tão felizes, que me fazem lamentar.
Estão vivos na memória, fazem parte da história
Que não canço de contar.

A casa de pau à pique, com esteio de braúna,
As portas de cabiúna e assoalho de jucá.
Jirau, era de taquara, a cerca feita de vara,
Paiol de jequitibá.

Os móveis feitos de junco, Jataí e jatobá.
Fumaça, fogão a lenha, pilão de jacarandá.

Lá no moinho de pedra, milho virava fubá.
Café passado na hora, o cheiro vinha avisar.

Água pura lá na bica, dia e noite sem parar.
Muito peixe no riacho, todo dia ia pescar.

A saudade que faz mal

Toda vez que o galo canta
A saudade se levanta,
É lembrança que faz mal.
Toda vez é desse jeito,
Essa dor invade o peito,
Sofrimento sem igual.

A saudade não descansa,
A saudade me alcança
Na porteira do curral.
La debruçado, faço verso, faço rima
Como quem vai rio a cima
Pegar fruta no quintal.

Essa saudade nunca me deixou em paz,
Nem imagina quanto mal ela me faz.
Me sinto preso às lembranças do passado,
Um completo atordoado
De há muito tempo atrás.

O peso do tempo

Eu podia fazer o que quisesse,
Madrugada, manhã ou meio dia,
Lusco-fusco, assim quando escurece,
Até quando a lua reluzia.

Podia sim, podia. Podia sim, podia.
Eu podia comer a qualquer hora,
A comida pra mim, mal não fazia,
Eu comia de tudo sem demora,
Não sentia nem mesmo uma azia.

Podia sim, podia. Podia sim, podia.

Esse tempo passou e hoje eu sinto,
Tudo aquilo que antes não sentia,
É o peso do tempo e da idade,
Só saudade de tudo que eu fazia.

Podia sim, podia. Podia sim, podia.

Hoje eu faço com moderidade,
O que antes era monotonia,
Pois, o tempo mudou minha vontade,
Minha vida perdeu a sintonia.

Podia sim, podia. Podia sim, podia.

Vida cronometrada

Ê tempo bom,
Em que eu vivia por prazer.
Ê tempo bom,
Em que eu tinha tempo pra perder.

Agora, já não posso,
O meu tempo é contado.
Tudo tem o tempo certo,
O tempo é cronometrado.

Saudade desse tempo,
Era um tempo de alegria.
Eu levava uma vida
Ao extremo, a revelia.

Tenho hora pra acordar,
Tenho hora pra sair,
Tenho hora pra chegar,
Tenho hora pra dormir.

Tenho hora pro trabalho,
Tenho hora pro lazer,
Tenho hora pro descanso,
Tenho hora pra viver.

Eu era feliz (Saudosismo)

Eu era muito feliz,
Saudade de tudo que fiz,
Era feliz e não sabia.
A pouco tempo atrás,
Meu mundo era cheio de paz
E a vida, cheia de alegria.

Eu caminhava sem medo,
Viver não tinha segredo,
Era mais um sonhador.
Eu tinha tempo pra vida,
Uma pessoa querida,
Um mundo de luz e de cor.

Hoje, está tudo mudado,
Me sinto ultrapassado,
O que era bom, já passou.
Me sinto muito perdido,
Num mundo desconhecido
Só a saudade restou.

Viver me satisfaz

Eu não tenho tudo
Que eu sempre quis,
Está faltando tudo
Más, estou feliz.

Estou feliz da vida
Pois, eu tenho paz,
Saúde e liberdade,
Isso me satisfaz.

Me satisfaz o prazer,
O prazer de viver.
O poder de provar,
O poder de saber.

O poder de ouvir,
De sentir e falar.
O poder de ver,
De ser e estar,
Me satisfaz o viver.

A base do homem

A todo instante da vida,
Dou graças a vida que tenho.
Sem nunca esquecer as raízes,
Nem o lugar de onde venho.

A base de um ser humano,
Com toda a certeza é a família.
É onde e traçam os planos,
É onde e marcam as trilhas.

O caráter vem do berço,
O molde é a criação.
Criador e criatura
Numa santa comunhão.

Somente a concepção
Não define os caminhos,
Os valores e os temores,
Devem estar nos novos ninhos.

Exemplo

Eu pedi pra parar, parando.
Eu pedi pra sorrir, sorrindo.
Eu pedi pra cantar, cantando.
Eu pedi pra ouvir, ouvindo.

Eu pedi pra chegar, chegando.
Eu pedi pra fazer, fazendo.
Eu pedi pra lutar, lutando.
Eu pedi pra ceder, cedendo.

Eu pedi pra chorar, chorando.
Eu pedi pra partir, partindo.
Eu pedi pra ficar, ficando.
Eu pedi pra seguir, seguindo.

Eu pedi pão e paciência,
Eu pedi calma e consciência,
Tolerância, um pouquinho mais.
Eu pedi luz e harmonia,
Eu pedi força e alegria,
Eu pedi esperança e paz.

O amor regenera

Alguém, me falou que o amor
É mais forte que a dor
Que habita um coração.
Só o amor, poderia me salvar,
Poderia me tirar dessa triste solidão.

Então, eu fiquei tão deprimido,
Eu estava arrependido
Por estar sofrendo assim.
Tratei de esquecer aquela ingrata,
Que ainda, me maltrata,
Fez o que bem quis de mim.

Saí pela vida sem destino,
Me sentindo um menino
Que ganhou a liberdade.
Descobri que o amor nos regenera,
Que acalma nossa fera
E alivia de verdade.

Cheio de promessa

Essa tal felicidade
É uma coisa muito estranha.
A gente só é feliz
Enquanto a gente ganha.

Eu ainda, estou sofrendo,
É porque estou sentido.
Não choro por seu amor,
Más, choro por ter perdido.

E quando a gente perde,
Sofre, chora e desespera.
Vai de um lado para o outro
Parecendo uma fera.

Más, um dia tudo passa
E outra história recomeça.
A gente será feliz,
Então, se enche de promessa.

Amanhã, eu serei feliz amanhã.
Amanhã, eu serei feliz amanhã de manhã.

Propósito maior

Tudo que a gente faz,
Tudo que a gente quer,
É ser feliz, cada vez mais,
Muita saúde e muita paz,
A gente enfrenta o que vier.

Mesmo sabendo que a vida,
Tem um propósito maior.
A gente pensa em dinheiro
E passa o tempo inteiro
Querendo o melhor.

O importante nessa vida,
Ninguém duvida, é o amor.
Pois, tudo que eu possuir,
Vai ficar aqui no dia em que eu for...

Eu vou viver, eu vou viver
Com liberdade, paz e amor.
Vou me livrar das perdições,
Me desfazer das ilusões,
Deixar de ser um perdedor.

Cante comigo

Eu canto pelos cantos desse meu país,
Eu canto porque o canto é que me faz feliz.

Eu canto pois, cantar é uma satisfação.
Eu canto pois, o canto alegra o coração.

Eu canto pelos cantos da minha cidade,
Eu canto, porque o canto trás felicidade.

Eu canto pelas ruas e nas avenidas,
Eu canto pois, o canto alegra nossas vidas.

Cante comigo,
Qualquer que seja a canção.
Do fundo do peito,
Cante com o coração.

Sinta na alma,
O que a canção vai fazer,
É a magia de uma canção
Que eu fiz pra você.

O sofrimento e o dia

O céu está cinzento,
Eu não consigo disfarçar meu sentimento.
O céu está cinzento,
Como se o dia fosse parte do meu pensamento.

Como se o sol quisesse
Partilhar comigo essa dor.
Como se as nuvens tão escuras,
Mostrassem seu rancor.

A chuva fina vem trazer todo o seu acalento,
O astro rei se escondeu de tamanho sofrimento,
Já percebeu que sua luz não vai me alegrar.
Como se o vento solidário, quisesse me acalmar.

O meu motivo é o desdém,
De alguém que ainda é...
Que sabe disso e que por isso,
Faz de mim o que bem quer.

Alguém que usa e abusa,
Desse meu nobre sentimento.
Que me remete ao mais profundo
E doloroso sofrimento.

O som do vento

Na madrugada eu ouço
Que me distrai,
Um som que vem,
Outra hora, um som que vai.

Como se o vento
Tocasse uma sinfonia,
Um som que tem
A mais completa melodia.

Com o silêncio que a madrugada trás,
O vento trouxe uma canção que satisfaz.
É a canção mais bela que eu já ouvi,
É a canção que não esqueço nunca mais.

Harmonioso é o som
Que o vento trás,
O som que trouxe
O acalento e a paz.

Minha lua

Minha lua alumia minha rua,
Minha lua alumia meu caminho.
Minha lua é a minha companheira,
Minha lua nunca me deixa sozinho.

Minha lua alumia meu destino,
Minha lua faz sentir-me um menino.
Lua cheia clareando minha estrada,
Tenho a lua, não preciso de mais nada.

Minha lua, minha eterna companheira.
Minha lua tão formosa e faceira.
És fiel a esse pobre apaixonado,
Que consolas toda noite com teus raios prateados.

Minha lua, lua cheia ou minguante,
Minha lua, lua nova ou crescente,
Minha lua em tuas fazes, és tão bela,
Minha lua sabe o que a gente sente.

Pintura do criador

Estava observando o céu,
Estava observando o mar.
Estava aqui nesse marasmo,
Me preparando pra zarpar.

Estava vendo o pôr do sol,
Sentindo o balanço do mar.
Vendo o quanto é magnífico,
O sol se esconder no mar.

O crepúsculo dourado,
Sobre a imensidão do mar.
Visão de privilegiado,
Minutos para contemplar.

O crepúsculo dourado
É visão do esplendor.
Deixando a impressão de um quadro,
Pintado pelo criador.

O crepúsculo dourado
É fonte de inspiração,
É de onde o poeta
Vem tirar sua canção.

Amanheceu

Mais um dia amanheceu,
Eu acordei feliz.
O sol se abriu pra mim,
O sol me aqueceu.
Tão claro como eu quis,
No céu que Deus me deu.

Olhando a natureza,
O céu azul, o ar tão puro.
Que mais posso querer?
Meu Deus quanta beleza,
Me sinto mais seguro
E pertinho de você.

Quanto mais eu olho,
Muito mais eu vejo.
São de pequenas coisas que se é feliz.
Nos rios, eu me banho,
Nas flores, eu dou beijos,
No vento abro os braços e leva o que se diz.

Dando um tempo

Tanta coisa nesse mundo,
Acontecendo nesse exato momento.
Tem muita gente alegre e feliz,
Tem muita gente sofrendo.

Tem muita gente chegando
E muita gente partindo,
Tem muita gente chorando
E muita gente sorrindo.

Enquanto isso, eu sentado aqui
Nessa mesa de bar,
Relaxando, dando um tempo,
Vendo a hora passar.
Tomando uma bebida,
Matando o tempo,
Pra ele não me matar.

Estou dando um tempo,
Estou cansado e ninguém é de aço.
Estou dando um tempo,
Estou relaxando, aliviando
Todo o meu cansaço.

Medroso

O medo é meu equilíbrio,
É que me faz cauteloso.
Meu medo trás segurança,
Por isso é que sou medroso.

Meu medo é meu segredo,
Meu medo, eu não discuto.
Meu medo me chega cedo,
Meu medo é absoluto.

Tenho medo de ter medo,
Tenho medo de escuro.
Medo de ficar sozinho,
Tenho medo do futuro.

O medo é qualidade,
O medo me deixa esperto.
A vida, eu valorizo,
Vivo de olho aberto.

Carrossel

Falo do que não sou,
Espero o que não vem.
Acredito em destino
E papai noel também.
Como só o que me dão,
Faço o que mandam.
Sou apenas um cavalo nesse carrossel,
Nesse vai e vem.

Acredito no futuro,
Não duvido de ninguém.
Falo pouco, sou quieto,
Moro mau, não durmo bem.

Esperança, eu carrego,
As raízes, eu não nego,
Minha paz é mais além.
Vai, vai, vai, vem, vem, vem,
A vida é um vai e vem,
Faço o bem, não olho a quem.

Cria do sentimento

Atravessei o deserto,
Pensando estar muito perto,
Querendo te encontrar.
Andei por muitos caminhos,
Más, sempre estive sozinho,
Você não estava lá.

Eu te perdia em sonhos,
Em pesadelos medonhos,
Daqueles de amedrontar.
Eu dominava dragões,
Eu enfrentei multidões,
Querendo te libertar.

Más, você não se liberta,
Você é só descoberta,
É a minha ilusão.
Cria do meu sentimento,
Vive no meu pensamento,
Mora no meu coração.

Já tive tantos amores,
Passei por todas as dores,
Prefiro nem me lembrar.
Fui caça e caçador,
Chorei por falso amor
Que prometeu me esperar.

Lutar e vencer

A cada dia mais feliz,
Enquanto vida existir.
Terei o que eu sempre quis,
Por isso devo prosseguir.

Enquanto o dia amanhecer,
Enquanto esse sol surgir.
Eu vou lutar para vencer,
Eu não posso desistir.

Viver é uma alegria,
Sorrir é uma satisfação.
A esperança é um novo dia,
Futuro é realização.

Eu não sou dono do mundo,
Não pertenço a ninguém.
Esta vontade vem do fundo,
Inesperadamente vem.

Lá do fundo do meu eu,
Lá do meu desconhecido.
Do fundo ao meu apogeu,
Só então, terei vencido.

O tempo é a solução

O que dói é saber
Que sentirei saudades
Dos momentos felizes
Que estamos vivendo.
A vida cria raízes
E por elas estarei sofrendo.

É tristeza saber que tudo é passageiro.
Nada é para sempre, nada prevalece.
A realidade é dolorosa.
Más, a gente sempre esquece.

Difícil é conviver com a insatisfação.
Com o desejo louco, amarrado a indecisão.
O que passou não volta,
O mudo dá muitas voltas,
O tempo é a solução.

Luz que muito brilha

O que mais posso querer?
Tenho tudo pra viver,
Nessa viva eu sou feliz.
O homem sem uma luz,
Carrega mais uma cruz,
Leva a vida por um triz.

Eu mudei minha conduta,
Encarei com muita luta,
O caminho que tracei.
O suor do meu trabalho,
Foi apenas, um atalho
Pra chegar onde cheguei.

Hoje, eu não tenho nada,
Nessa vida amargurada,
Trago nada de valor.
Só tenho minha família,
Essa luz que muito brilha,
Muita paz e muito amor.

A vida não faz pausa

Onde eu estava não sei,
Não sei por onde entrei,
Nem sei onde é que vai dar.
Só sei que estava sozinho,
Eu não marquei o caminho,
Não sei por onde voltar.

A vida é um labirinto,
Eu sempre falo o que sinto,
Não tenho pápas na língua.
Prefiro ser a ferida,
Ser o pecado da vida,
Que ser somente uma íngua.

Eu quero ser o eleito,
Prefiro ser o efeito,
Que ser somente a causa.
Levo a vida ao extremo,
Sou barco, sou mar e sou remo,
A vida não faz uma pausa.

Do mesmo jeito

Eu vou daqui pra lá,
Como quem vem de lá pra cá.
Do mesmo jeito,
A gente pode se encontrar.

Eu estou indo,
Más, também posso voltar.
Ninguém escolhe
Nem a hora, nem lugar.

A vida é do jeito que devia ser.
É bem mais simples do que possa parecer.
Depende apenas, do seu modo de olhar.
De entender, compreender, interpretar.

Depois, é só agir com emoção
E a razão para tentar equilibrar.
Uma pitada de amor no coração,
A paciência te leva a qualquer lugar.

Quem me dera

Há tanta coisa que eu deixei pra depois.
Há tanta coisa que eu deixei de fazer.
Há tanta coisa que eu deixei para trás.
Há tanta coisa que eu deixei de viver.

Quem me dera voltar ao passado,
Refazer tanta coisa que fiz.
Consertaria todos os erros,
Quem sabe assim, eu seria feliz.

Eu brincaria descalço na lama,
Eu não iria tão cedo pra cama,
Eu gritaria pro mundo ouvir.

Eu abriria mão do que tenho,
Eu lutaria com muito empenho,
O meu esforço seria sorrir.

Caminhos tortos

Eu andei por uns caminhos tortos,
Já sofri demais, já fui feliz.
Em cada canto eu tive um amor,
Eu já levei a vida por um triz.

Me entreguei à todas as paixões,
Já passei por muita solidão.
Fui atrás de muitas ilusões,
Machuquei demais meu coração.

Más, o sofrimento fortalece.
Agora, sei onde não posso errar.
Vou achar alguém que me interesse
E mais uma vez, eu sei que vou amar.

Eu preciso de uma nova chance,
Vou provar que posso superar.
Eu preciso de um novo romance,
Esquecer quem só me fez chorar.

Não é fácil começar de novo,
Não é fácil apagar a dor.
Não é fácil esquecer as mágoas,
Se um dia existiu amor.

Quem sou eu?

A muito tempo estou perdido nessa vida.
Não sei quem sou, de onde vim, pra onde vou.
Estou buscando algo que eu nem conheço.
Hoje, padeço em nome do que passou.

Eu não me lembro de nada do meu passado.
O meu presente é tudo que eu posso ter.
O meu futuro, ainda, estou construindo.
Eu vou seguindo do jeito que tem de ser.

Quem sabe quem sou eu, levante a mão.
Quem sabe quem sou eu, que fale agora.
Quem sabe quem sou eu, me dê a mão.
Quem sabe quem sou eu, me leve embora.

Desafiando a solidão

Um asovio ecoando
No meio da imensidão.
Um grito solto no espaço,
Revela a minha solidão.

Sou um gigante em pensamento,
Só mais um grão na vastidão.
Eu não domino o sentimento,
Que me domina o coração.

Eu sofro por estar sozinho,
Eu escolhi esse caminho
Em nome da superação.
Eu choro por não ter ninguém,
É tão difícil ir além,
Buscar a realização.

A vida é um desafio,
Eu desafio toda a dor.
Eu vivo sempre no limite
Mais próximo do criador.

Estrada da vida

De repente me vejo sem nada,
Numa estrada, sozinho a vagar.
A estrada só tem um sentido,
Pois, não é permitido voltar.

Vou andando em linha reta,
Minha meta, preciso alcançar.
Cada passo é um complemento
Do momento que ainda virá.

Só consigo ver o horizonte
E a fonte onde vou beber.
Passo a passo, compondo uma história,
Tragetória de todo o viver.

Nessa estrada não vejo o final,
Meu normal é viver e aprender.
Construindo a minha existência,
A paciência me trás o saber.

Estradeiro sem lugar

Eu vou seguindo meu caminho,
Sozinho, sozinho.
Não tenho hora pra chegar,
Pra chegar, pra chegar.

Sou um filho da estrada
E nada vai me parar.
Sou filho de boiadeiro,
Estradeiro sem lugar.

Trago os traços dessa luta
Estampado no meu rosto,
Más, enfrento essa batalha
Com carinho e muito gosto.

O caminho que eu faço
É apenas, conseqüência
Dessa vida que eu levo
Sem prestar obediência.
Sou o dono de mim mesmo
E levo a vida a esmo,
Más, com muita competência.

Voei sem direção

Livre, livre.
Livre como um passarinho
Que abandonou o ninho
E aprendeu a voar.
Abracei a imensidão
E voei sem direção,
Voei apenas, por voar.

Voei, voei
E conheci a liberdade,
Fui em busca da verdade,
Quis saber mais sobre mim.
Eu quis saber do meu passado,
Quis saber do meu futuro,
O meu começo e o meu fim.

Eu descobri que o presente,
É o que existe realmente,
Futuro ainda, há de vir.
O que passou não volta mais,
Se foi, ficou, deixa pra trás,
O importante é prosseguir.

Salto no infinito

Não quero mais a verdade,
Fujo da realidade,
Prefiro me esquivar.
Criei o meu própio mundo
E hoje vivo no fundo,
Com medo do que virá.

Eu quis saber muito mais,
Eu fui além, fui atrás,
Eu fui buscar o sentido.
Eu viajei no futuro,
Eu retornei inseguro,
Agora, estou mais perdido.

Eu sabotei a viagem,
Eu violei a passagem,
Eu corrompi o porteiro.
Saltei para o infinito,
Ainda não acredito
Que pude ser o primeiro.

Mundo dos sonhos

Eu vou viajar pelo mundo dos sonhos,
Onde se pode voar.
Pelo mundo dos sonhos,
Onde se pode tocar
O céu e o mar,
no mesmo lugar.

Eu vou porque sei,
Eu ei de ser rei
E em algum lugar.
Vou pra terra do nada,
Onde tudo acontece,
Num pestanejar.

Onde tudo se funde e tudo se desmembra.
Onde tudo se esquece, onde tudo se lembra.
Onde tudo se torce, onde tudo se estica.
E tudo se esclarece e tudo se complica.
Onde tudo é real e tudo é ilusão.
E tudo se resume na palma da mão.

A vida continua

Não vou ficar, não vou.
Não vou voltar, não vou.
Eu tenho que seguir, quero saber quem sou.

Em outra direção, preciso caminhar.
Eu posso até parar más, eu não vou voltar.

Não vou voltar atrás, não vou me arrepender.
Não dá pra apagar, a vida é pra valer.

Ainda vou chorar, ainda vou sofrer.
Sei que a dor maior, ainda vou viver.
 
A nada de valor, eu vou me apegar.
Não posso me prender, eu vou continuar.

Derrotas e vitórias

Eu vou, eu preciso ir.
Eu só vou parar quando não tiver
Forças pra seguir.

Eu vou, pra qualquer lugar.
Esse mundo é grande
E a vida responde
Enquanto eu perguntar.

Eu vou, rumo ao infinito.
Onde o que é bonito,
Pode-se tocar.

Cada um tem um caminho,
Cada qual tem sua história,
Todos tem a liberdade de
De escolher a tragetória.

Os destinos são repletos
De caminhos incompletos.
São derrotas e vitórias.

Virando a página

Muito além do horizonte
Existe um lugar.
Onde eu posso ser feliz,
Onde eu posso me encontrar.

Onde eu posso ser amado,
Onde eu seja respeitado
E encontre alguém pra amar.
Vou dar adeus a tudo que passou,
Vou dar adeus a tudo que ficou,
Vou virar a página e recomeçar.

Levarei comigo as lembranças das pessoas,
Somente as coisas boas,
O resto eu vou deixar.
Por isso eu vou, eu quero esquecer.
O que me fez sofrer,
Não quero mais relembrar.

Eu vou tirar do meu pensamento,
Todo o meu sofrimento,
A dor que me faz penar.

Minha liberdade

Tudo que eu preciso está na mala,
É tudo que eu preciso pra viver.
Só tenho o que posso carregar,
Só quero o que posso merecer.

Não tenho lugar, nem hora certa,
Não existe dia pra chegar.
Não carrego chaves, nem relógio
E nada pode me aprisionar.

A linha do horizonte é o limite,
O sol é companheiro de jornada.
A lua é a minha lamparina,
A luz que ilumina a madrugada.

O vento vai traçando meus caminhos,
Os rios vão me dando a direção.
As flores vão mostrando a beleza,
Enfeitando o meu mundo de ilusão.

Em busca de um lugar

Faço a rima que eu quiser
E toco pra você me ouvir cantar.
Eu deixo tudo pra você
E parto em busca de um lugar.

Onde eu possa me sentar
E ouvir o ecoar da minha própria voz.
Olhar o horizonte azul,
Contemplar a vida e não pensar em nós.

E quando entardecer,
Gritar pro sol não se esquecer
E amanhã voltar.
Observar as nuvens claras
Que vão com o vento pra qualquer lugar.

E quando anoitecer,
Fazer um fogo pra me aquecer,
Saudar as estrelas que vão me velar.
Cantar as canções que eu fiz
E sentir saudades na luz do luar.

Um lugar além...

Se alguém telefonar,
Diga que eu não vou voltar.
Se acaso for minha mulher,
Diga pra não me esperar,
Nem pro jantar, nem pro café.

Eu abro mão do que eu tenho,
Eu deixo tudo que é meu.
Eu vou sem rumo e sem parada,
Diga que não sabe de nada,
Não sabe o que aconteceu.

Estou cansado dessa luta,
Eu não agüento essa loucura.
Vou traçar outro caminho,
Vou sair nessa procura.

Eu não quero ser capacho,
Escolacho de ninguém.
Não quero ser pau mandado,
Não suporto esse desdém.
Vou em busca da verdade,
Vou atrás da liberdade,
Meu lugar é mais além.

Um lugar escondido

Quero sair por aí sem rumo certo.
Correr, pedalar e nadar,
Saltar, mergulhar e voar,
Na terra, no ar e no mar,
Ou então, no deserto.

Achar um lugar escondido,
Onde o homem não tenha chegado.
Onde eu possa ficar à vontade,
Sem ter medo da realidade
E não me sinta tão sufocado.

Eu quero ver a águia no céu,
Quero ver a baleia no mar,
Eu quero ver os bichos vivendo
Em todo lugar.

Eu quero ver a luz do sol,
Eu quero ver a cor do luar.
Quero sentir a mãe natureza,
Em toda a sua pureza, me abraçar.

Verdadeiro valor

Eu quero um dia por vez,
Eu quero um mundo sem dor.
Esqueço o que já se fez,
Faço crescer o amor.

Eu descobri no amor
A verdadeira razão.
O verdadeiro valor
Está no meu coração.

Na vida, eu quero paz,
O mundo que a gente faz,
De alegria e compreensões.

Eu quero luz, quero cor,
Eu quero muito amor
Em todos os corações.

Mudança

Um dia de cada vez, pois é.
É assim que vou fazer, pois é.
Esquecer o que se fez, pois é.
Pensar no que vou fazer.

Cada dia é um começo,
Eu só quero o que mereço,
Quero nada de ninguém.
Encaro com muita luta,
Fui criado na labuta,
Só quero o que me convém.

Um passado de tristezas,
De vícios e avarezas,
Vou deixando para trás.
Eu não quero as lembranças
Das discórdias e vinganças,
Que roubaram minha paz.

Acredito no futuro
E me sinto mais seguro,
Porque posso melhorar.
Quero um mundo bem mais justo,
Não quero viver de susto,
Minha vida vai mudar.

Corrente do amor

O que você pode fazer
Para mudar o seu lugar?
O que você pode mudar
Pra melhorar o seu viver?

Agasalhar à quem tem frio,
Alimentar à quem tem fome.
Isso revela o seu brio,
Esse mal você consome.

Se você muda por mudar,
Não faz sentido refazer.
Se você faz só por amar,
Viver se torna um prazer.

Muda, muda, muda o seu modo de pensar.
Pense, pense, pense em como ajudar.
Faça parte dessa corrente do amor.
Viva a vida, seja na vida um benfeitor.

Tudo muda o tempo todo

Eu nem sempre sei de tudo,
Eu não posso te dizer.
Não consigo adivinhar
O que vai acontecer.

Tudo muda a todo tempo,
Tudo toma um novo rumo.
Todo o plano que se fez
Se transforma em resumo.

É difícil acreditar
Que todo o sonho foi em vão.
Parte do que eu sonhei pode se realizar,
O restante eu sei que não.

Eu não vou lhe dar certeza
De que tudo assim será.
O futuro, à Deus pertence
E tudo poderá mudar.

O dom de procriar

É claro que não se tem
Tudo o que a gente sonha,
Feliz de quem pode ter
Parte do que a gente sonha.

Querer nem sempre é poder,
Viver é minha razão.
Viver é ter que aprender
A aceitar a condição.

Viver é tudo que eu sei fazer,
Pois, afinal de contas
Não há nada além.
Além de ser e de viver.

Existir me satisfaz,
Estar aqui é muito bom,
Tenho o dom de procriar,
Existirei por esse dom.

A vida é conseqüência...

Assumir a conseqüência
É o melhor a se fazer,
A vida é uma seqüência
Do que pode acontecer.

Encarar tudo de frente
E buscar forças pra lutar,
Fazer algo diferente
Na esperança de mudar.

Eu vejo tudo que antes não via,
Se transformou em alegria
Toda tristeza que eu sentia.

Eu aprendi a conviver
Com esse medo perder,
Não vivo mais como eu vivia.

Lutas em vão

As batalhas que travei
Causaram muita tristeza.
Pessoas que magoei,
Defendendo a incerteza.

Infeliz eu me tornei,
Na busca desesperada.
A que ponto eu cheguei,
Perdido na mesma estrada.

Os reis que idolatrei,
Nos caminhos que tracei,
As lutas foram em vão.
A luz que tanto busquei,
Do jeito que eu sonhei,
Estava em meu coração.

Dom supremo

És a paz que me move,
És a paz que me faz tão feliz.
És a luz dos meus olhos,
És meu guia, noite e dia tão feliz.

És a paz que me faz
bem demais,
És a luz que conduz minha cruz.
És o pão, és o chão, és razão.

És a flor, és a dor, és amor.
Tu és o motivo dessa vida,
Em ti eu encontro a saída.

Tu és a verdade e o caminho,
Contigo, nunca estarei sozinho.
Tu és a essência da bondade,
Provastes o amargo da maldade.
Provaste que o amor é dom Divino,
Supremo, és a própria divindade.

O cara

Eu vi o cara que ascende o sol,
Eu vi o cara que ascende a lua,
É o mesmo cara que dorme na rua,
Que não tem cama, nem tem um lençol.

É o mesmo cara que encheu o mar,
Como quem enche a piscina de casa,
É o mesmo cara que sabe voar,
É só um cara que voa sem asas.

É só um cara que sabe quem é,
Que acredita e sabe o que quer,
É só um cara que a gente despreza
E muitas vezes invoca em rezas.

Eu tive um sonho com um cara assim,
Que apontava e sorria pra mim.
Me conduziu e me mostrou o caminho
E me falou que eu não estava sozinho.

Caminhos do sono

As perguntas importantes,
As respostas que procuro,
As buscas incessantes,
Aparecem no escuro.

Quando eu estou sozinho,
Quando eu estou dormindo,
Aparece um caminho
E por ele vou seguindo.

Meu amigo e conselheiro,
É o meu caro travesseiro,
É meu consolo e meu conforto.
Com os olhos entre abertos,
Os caminhos descobertos
De um mundo menos torto.

Perda de tempo

Eu já vi de tudo um pouco,
Já vi um pouco de tudo.
Já vi maluco e louco,
Por isso, eu não me iludo.

Eu só quero o que é meu,
O que posso merecer.
Quem ganhou, também perdeu,
Perde o que não pode ter.

Quem se ilude com dinheiro,
Perde a vida por inteiro,
Perde o tempo que viveu.
Quem prendeu-se à valores,
Passará por muitas dores,
Nem sabe porque sofreu.

A gente é o que pensa

Venho de longe, vim sozinho,
Eu vim mostrar para você.
Onde se esconde a verdade verdadeira,
No topo da realidade é onde mora o saber.

A nossa vida é uma luta o tempo inteiro,
A nossa luta é difícil de vencer.
Sabedoria se adquire com o tempo
E todo tempo, é tempo de aprender.

É necessário acreditar no que se sente,
Olhar pra frente e não parar de caminhar.
Porque a gente é o que a gente pensa,
Depois de tudo vem a recompensa,
Nossa sentença, podemos ditar.

Meu universo

Não estou por aqui, por acaso. 
Não estou por aí ao leo.
Eu não perco o meu tempo pensando, 
vou a luta e construo o meu céu.

Estou em busca de um paraíso, 
estou querendo um lugar pra viver,
Quero ter uma vida tranqüila 
e achar a razão do meu ser.

Basta acreditar e lutar, 
basta lutar e ter fé.
Eu nasci livre pra sonhar, 
eu posso fazer o que quiser.
  
Cada um faz da vida o que quer, 
todos podem chorar ou sorrir.
Todos querem a felicidade, 
más, não aceitam a realidade,
O inferno e o céu são aqui.

O mesmo desejo

Não posso fugir do meu pensamento,
Não posso ficar, nem dormir no relento.
Não dá pra dizer o que passa aqui dentro,
O mundo é uma bola e eu vivo no centro.

Não dá pra correr, é preciso lutar,
A vida é melhor quando posso sonhar.
Meu medo é menor quando posso enfrentar,
Na batalha da vida eu prefiro ganhar.

O meu pensamento é universal,
Sou tão diferente, más sou tão igual.
Eu quero a paz para o mundo real,
Meu desejo é o mesmo de todo mortal.

Surfista do pensamento

Nas ondas do pensamento
É onde tudo acontece,
Acontece à todo instante,
Anoitece ou amanhece.

É onde tudo começa,
No topo, na crista, no cume.
Nas ondas do pensamento
É onde tudo se resume.

Descobri as novas ondas
Na busca do sentimento,
Me tornei um esportista,
Surfista do pensamento.

Posso ser quem quero ser,
Tudo posso e vou fazer.
Posso ser quem sempre quis,
Sem medo de ser feliz.

Posso ir e posso vir,
Posso ter e quero ter.
Ao chegar, posso sair,
Não preciso me prender. 

Eu mudei

Eu cresci ouvindo rock,
Eu caminhava entre ripes,
Gostava de estado de choque,
Adorava um enfoque,
Também tinha meus chiliques.

Eu conheci o pai dos burros
Quando eu tinha quinze anos,
Eu ainda, era pagão,
Não tinha uma religião,
Era o mais louco dos insanos.

Me apresentaram um padre-cura,
Que me levou a um padre-mestre,
Que me falou do padre-nosso,
O que posso e o que eu não posso,
Nessa condição terrestre.

A minha vida então, mudou.
Passei a ser outra pessoa,
Aceitei a minha sorte,
Me sentindo bem mais forte,
Encarei tudo na boa.
 

Outro universo

Ascendo um incenso,
Pego um copo de vinho,
Procuro ouvir o canto
De um passarinho.

Papel e caneta,
Uma frase, outro verso,
É só o passaporte
Para outro universo.

É nesse momento
que saio do chão,
Pois, esse conjunto
Aguça a minha inspiração.

Daí eu viajo no meu pensamento,
O meu sentimento é de pura emoção.
Então, eu mergulho no fundo da alma,
Buscando a calma pro meu coração.

Quem tem amor, cuida

Quem tem telhado de vidro
Não joga pedra pro alto.
Quem não tiver pára-quedas
Não deve arriscar o salto.

Quem quiser ser respeitado
Que mantenha o respeito,
Cobiçar mulher alheia,
Fará perder o direito.

Quem tem um amor na vida,
Cuida com muito carinho,
Não comete adultério
Pra não acabar sozinho.

Eu disse: ê lê , lê.
Água mole em pedra dura,
Tanto bate e vai embora,
Quem tem um amor, sorri.
Quem não tem um amor, chora.
E se chora é de saudade
De alguém que foi embora,
Saudade vem sem demora.

Creio em Deus

Quem tem medo de vampiro
Anda munido de alho,
Carrega um crucifixo
E uma estaca de carvalho.

Quem teme à lobsomem
Não anda em noite escura,
Em noite de lua cheia
Não arrisca um a aventura.

Quem tem medo de fantasma
E vive muito assustado,
Não entra em casa velha,
Nem castelo abandonado.

Quem teme assombração
Não anda na madrugada,
Não entra em cemitério,
Nem casa mal assombrada.

Eu não tenho esse medo,
Sabe, eu não sou medroso.
Eu não temo nada disso,
Creio em Deus, o poderoso.

Adeus amigo

Trazia grande alegria,
E um olhar tão radiante.
Antes que ela o levasse,
Teve apenas um instante.

Deu adeus num breve olhar,
Mostrando o arrependimento.
Caiu frio como uma pedra,
Sem nada de sofrimento.
Novos amigos virão e outros irão,
É o tal do contentamento.

Enquanto seu corpo caia
No fundo da terra fria, a vida se refazia.
Uma nova criança chorava.
Restaram boas lembranças,
Das nossas belas festanças,
Ficou também a esperança
Da paz que ele tanto sonhava.

Mulher inconseqüente

A mulher é desse jeito, quando quer, ninguém segura.
Põe a culpa no destino pra explicar sua loucura.
Seu desejo cria asa,
Abandona sua casa
Pra viver uma aventura.

A mulher inconseqüente é um disco com ranhura,
Ferida que não estanca, doença que não tem cura.
É um trem fora dos trilhos,
Abandona até os filhos,
Em nome de uma aventura.

A mulher inconseqüente
Engana, finge e mente
Pra esconder sua atitude.
Perde a vergonha na cara,
É doença que não sara,
Quando perde a virtude.

A dama dos ensejos

Era só mais um rosto bonito,
No meio da multidão tão sofrida.
Não tinha nada a perder e por isso
Não dava mais valor à vida.

Por isso mesmo, se entregava
À todo amor de momento.
Sem nenhuma razão de viver,
Sem nenhum tipo de sentimento.

Vivia um dia após o outro,
O futuro a Deus pertence.
Da vida não se leva nada,
Você deve viver, não pense.

Ela se transformou
Em objeto dos desejos.
Seu coração não tem dono,
Nem tem dono os seus beijos.

Ela jura que não ama,
Más, mantém acesa a chama,
É a dama dos ensejos.
 

Casamento

Você fala em destino,
Você fala em futuro.
Você fala em casamento
De um jeito inseguro.

Casamento é complicado
Na hora de separar.
É sempre um pra cada lado,
O outro fica a chorar.

Casamento é tiro certo,
Não é tiro no escuro.
A grama é sempre mais verde
Do outro lado do muro.

Casamento é uma festa,
Quem tá fora quer entrar.
Quem tá dentro quer sair
E quem saiu não quer voltar.

Quem voltou se arrependeu
E tá querendo se mandar,
Quem se foi tá muito longe,
Tá difícil de encontrar.

Vida à dois

Deixe seu amor saber 
o que você está sentindo.
Você não deve esconder, 
não é bom ficar fingindo.

Não deixe que a ilusão
mude seu jeito de ser.
Não engane o coração, 
pra mais tarde não sofrer.

Seja de que jeito for, 
divida sempre o seu momento.
Saiba que o seu amor
é o maior sentimento.

Diga o que você sente, 
O que pensa realmente.
Não deixe nada pra depois.

Diga sempre a verdade,
Viva com sinceridade,
Pra que exista vida à dois.

Muda Benzinho

O mundo não gira em torno de ti.
Você não é a mulher exemplar.
Sai toda noite, só faz o que quer.
Só pensa em curtir, só pensa em gastar.

O seu namorado já vai te deixar.
Não tá agüentando ter que te bancar.
Parece uma louca, quer tudo o que vê.
E nem se preocupa em quem vai pagar.

Eu já pedi pra você relaxar.
Mudar de uma vez o seu jeito de ser.
Pensar um pouquinho no modo de agir.
Se não, certamente, ninguém vai te querer.

Se não mudar a sua conduta, benzinho.
Se não traçar outro caminho, benzinho.
Se não sair dessa vidinha, benzinho.
Vai acabar no abandono,
Jogada feito um cão sem dono,
Largada por aí, sozinha.

Bom é um lugar...

Bom é um lugar...

Se te querem aqui,
Não te querem por lá.
Se te querem por lá,
Não te querem aqui.
Bom é um lugar para ir.

Bom é mudar de lugar,
Bom é sair por aí.
Bom é tentar encontrar,
Bom é chegar e partir.

Se te fazem sorrir,
Se te fazem chorar,
Se te pedem pra ir,
Se te mandam ficar.
Bom é achar um lugar.

Bom, barari, barará.
Bom, barará, barari.
Bom é ficar por aqui,
Bom é ficando por lá.

Você é a força

Quando o amor te tocar,
Nada mais fará sentido.
Tudo o que você dá valor,
Verá que está perdido.

Tudo o que você já passou,
Tudo o que você já viveu,
Tudo o que você já ganhou,
Tudo o que você já perdeu.

Você vai se desfazer
De tudo o que acumulou,
Você vai se desprender
De tudo que se apossou.

Verá que sua luta é em vão,
Você caminha e não pisa no chão,
Você luta cegamente sem cessar.
Você olha más, não vê
Que a força está em você,
Você precisa acreditar.

Você pensa demais

Deixa de ser mesquinho,
Seu egoísmo é demais.
Cê pensa pequenininho,
Isso te deixa pra traz.

Seu medo te obsseca,
Seus atos são doentios.
A vida anda pra frente,
Você se perde em desvios.

O mundo não lhe pertence,
Você pertence ao mundo.
Cê vive nesse suspense,
Num sofrimento profundo.

O problema é que você pensa demais,
Enquanto você pensa, você perde a paz.
Esse crime não compensa,
Você perde a recompensa que a vida traz.

Abominável egoísta

Seus parentes te detestam,
Ninguém mais te aprecia.
Todos te acham fajuto
Por tamanha hipocrisia.

Você pensa em si mesmo,
Você não é altruísta.
Não faz nada por ninguém,
Só faz o que lhe convém,
É o próprio egoísta.

O seu mundo é tão pequeno,
Se resume ao egoísmo.
Te chamam unha de fome,
Mão de vaca e avarento,
És o pai do pão durismo.

És chamado de mesquinho,
Miserável e sovina.
És um tipo detestável
Que muita gente abomina.

Por que cê mente?

A mesma terra que nos consome,
Nos dá o alimento pra sobreviver.
Nos consome com igualdade,
Independentemente de quem possa ser.

Hoje, você a maltrata,
Amanhã, ela dá a sentença.
Sem distinção de raça, ideologia ou crença,
Te consome sem diferença.

Se ninguém fica pra semente,
Então, por que cê mente?
Então, por que você se engana,
Se tudo é coisa passageira,
Se nada disso lhe pertence,
Então, por que cê mente?

Você sonha com o futuro,
Más, vive preso no passado.
Você não vive o presente,
Então, por que cê mente?

O sentimento é de todos

Você me diz que a alegria não reina em seu coração,
Que a andorinha, sozinha não faz verão,
Você me diz que não é feliz.

Você não quis correr atrás da sua paixão
E se cansou dessa negação,
Você não quis viver por um triz.

Você me diz que já viveu uma decepção,
Que já sofreu e perdeu a sua paixão,
Você me diz que é infeliz.

Pois é, o sentimento é pra todos nós,
O sofrimento é pra qualquer um,
Sem distinção, é pra todos nós.

Pois é, sua tristeza é tão normal,
A sua dor não é desigual,
É natural, é pra todos nós.

Refaça

Faça a coisa certa dessa vez,
É bom você pensar no que você já fez.

Faça a coisa certa dessa vez,
Insistir no erro não é bom,
É o mesmo que cantar fora do tom.

É como ir ao topo e cair,
É como começar e desistir.

Faça a coisa certa dessa vez,
Senão você se torna um freguês,
Um cliente da inconseqüência,
Que ao se repetir, se torna incompetência.

O segredo da vida

Será, que há amor no que você faz,
Que há carinho, ternura e paz?
Se não houver, não terá valor!

Será, que você faz por satisfação,
Que você faz por obrigação
Ou que você faz por ser pecador?

Será, que você faz por não ser perfeito,
Que você faz por não ter o jeito
Ou que você faz porque alguém faz?

Será, que você não sabe o que é direito,
Que se arrepende do que tem feito
Ou você prefere andar pra traz?

Será, que você entende a razão de ser,
Que já compreende o que é viver,
Que já se desprende de toda a dor?

A dor está aliada ao possuir,
A razão da vida está em servir,
E todo o segredo está no amor!

Deus e eu

Você não percebeu más, eu estava lá.
Pra te socorrer, pra te amparar.
Você titubiou, eu te segurei.
Quando você caiu, eu te levantei.

Você me ofendeu, eu não te ouvi.
Você insistiu, não considerei.
Sua condição não era normal,
Você não pediu más, eu ajudei.

Você me chamou no seu desespero,
Você implorou por compreensão,
Você prometeu ser outra pessoa,
Você rastejou e pediu perdão.

Você é assim, se está tudo bem,
Nem lembra de mim.
Você só me chama quando é o fim,
Se está tudo mal, quando está ruim.

Filho sem fé

Deixou de ser
Quem pensa que é,
Pagou pra ver
Quem não tinha fé.

Ficou pra trás,
Quem desejava ir,
Pois, quem não trás,
Não pode seguir.

O filho é orgulhoso,
Não crê no pai poderoso,
Não crê no que há de vir.

O filho esquece o pai,
Não sabe pra onde vai,
Só pensa em possuir.

Sete notas

Dolorida foi a queda,
Recuar não é legal,
Minha parte vou fazer,
Faça o bem contra o mal.

Sol para nos aquecer,
Lá seremos todos um,
Sim, você também irá,
Lá é um lugar comum.

Um pouco mais de dó.
Nada de marcha ré.
Um pouco mais de mim.
É assim que se faz.
Um pouco mais de sol.
Nós chegaremos lá.
Um pouco mais de si.
 
Sol nasce pra todos nós.
Faça sem olhar a quem.
Minha história já se fez.
Refaça um pouco por vez.
Doravante mais além.

Fragmentos de vidas passadas (Soneto)

A resposta está na noite
De sono reparador,
Esquecendo o açoite
Desse mundo sem pudor.

A viagem recomeça
Toda noite sem parar,
Não há nada que impeça
O movimento de voltar.

Fragmentos de passados,
De mundos despedaçados,
Interagem no viver.

Um grande quebra-cabeça,
Pra que a gente não esqueça
Porque deve padecer.

Pouca Fé

Essa busca incessante,
Parece mais importante,
Essa troca de valores.
Essa correria louca,
Essa fé cada vez pouca,
Espalhando seus horrores.

Essa luta insistente
Que corrompe toda a gente
E rouba o nosso instante.
Queremos cada vez mais,
O resto fica pra trás,
Odiando o semelhante.

Mude o rumo e o sentido,
Tudo pode estar perdido
Na primeira badalada.
Quando chegar sua hora,
Sem espera, sem demora,
Não haverá tempo pra nada.
 

Esqueça

Os dias vão passando,
Juntamente com as águas a caminho do mar.
O final está chegando, tem sempre alguém partindo,
Sempre alguém pra chegar.

A estadia é dolorosa,
Más, é preciso aproveitar,
Daqui se leva o que se vive,
O resto você vai deixar.

Esqueça o passado triste,
Esqueça o medo e o terror,
Esqueça as amarguras,
Esqueça o mundo de dor.

Esqueça o que te fizeram,
Esqueça o que já viveu,
Esqueça o que já passou,
Esqueça o que já sofreu.

Tudo passa

É preciso fechar os olhos,
Respirar e relaxar.
Acalmar o coração,
Evitar se extressar.

É só criação humana,
Parte da concepção.
O poder de construir,
De criar e progredir,
Nos leva a destruição.

Alivie essa tensão,
Eleve o pensamento.
Tudo isso é passageiro,
Tudo passa tão ligeiro,
Tudo é coisa de momento.

O tempo passa depressa,
Tudo pode se acabar.
Tudo acaba pra você,
É preciso aproveitar.

Propósito real

Tudo que acontece nessa vida,
tem o seu propósito real.
Nada acontece por acaso, 
nem descuido, nem descaso,
Nada nessa vida é igual.

Hoje a gente colhe o que plantou, 
é o fruto que a gente semeou.
E a qualidade desse fruto, 
em seu estado absoluto,
Depende da semente que usou.

Amanhã, será um novo dia, 
de certo, tudo vai se acertar.
Hoje, você pode estar perdendo
 e por isso está sofrendo,
Amanhã, você pode ganhar.

Quem não viu, verá. Quem não foi, irá.
Quem não tem, terá. Quem não é será.
É só questão de tempo, você pode esperar.

Postagens mais visitadas